John John, líder do ranking, conhece Pipe como ninguém. John John, líder do ranking, conhece Pipe como ninguém. Foto: DR

Itens relacionados

quinta, 07 dezembro 2017 08:15

Gabriel Medina ou John John? Qual o favorito para Pipe?

Confere o histórico de resultados e o comparativo entre os dois grandes favoritos… 

 

Depois de uma perna europeia simplesmente avassaladora por parte de Gabriel Medina, com fulminantes vitórias nas últimas duas etapas, que o levaram a saltar de oitavo para segundo lugar na tabela mundial, a 3100 pontos da liderança, a reta final do World Tour volta a assumir contornos muito empolgantes e interessantes. 

 

Top 5

1 - John John Florence (Havai) 53.350 pontos

2 - Gabriel Medina (Brasil) 50.250 pontos

3 - Jordy Smith (África do Sul) 47.600 pontos

4 - Julian Wilson (Austrália) 45.200 pontos

 

Na comunicação oficial empreendida pela WSL pode ler-se que a corrida ao título mundial, à partida para o Billabong Pipe Masters, a última etapa do ano, é feita a quatro, mas, na verdade, toda a gente sabe de antemão que apenas Gabriel Medina e John John Florence têm realmente uma verdadeira hipótese de alcançar o cetro no Havai. 

 

 

John John Florence

25 anos, camisola nr. 12, venceu 1 etapa esta temporada (Margaret River)

Média de pontos por heat em 2017 - 16,10 pontos

Ganhos na carreira: 1,890,450 USD

 

Gabriel Medina

23 anos, camisola nr. 10, venceu 2 etapas esta temporada (França e Portugal)

Média de pontos por heat em 2017 - 14,41 pontos

Ganhos na carreira: 2,218,000 USD

 

 

Muito resumidamente, as contas da matemática dizem-nos que John John tem que alcançar a final em Pipe para renovar o título de campeão mundial conseguido o ano passado, enquanto Medina - que foi campeão mundial em 2014 - precisa vencer em Banzai Pipeline e esperar que o havaiano seja eliminado nas meias-finais (3.º lugar). 

 

A Surftotal já traçou todos os cenários, incluindo para Jordy Smith e Julian Wilson, aqui

  

Analisando o histórico de resultados, entre 2011 e 2016, ficamos com a sensação que o brasileiro leva vantagem sobre o havaiano. Na verdade nenhum dos dois venceu esta prova na carreira, mas Gabi já participou de duas finais (perdeu para Julian Wilson e Adriano de Souza) e John John apenas de uma (perdeu para Kelly Slater). 

 

Jordy Smith, por sua vez, nunca alcançou os 1/4 de final em Pipe e Julian Wilson foi mesmo o único dos quatro que já sentiu o sabor da vitória em tão emblemático campeonato. Ora vê: 

 

John John Florence: 2011 - 5º / 2012 - 13º / 2013 - 2º / 2014 - 5º / 2015 - 9º / 2016 - 5º

Gabriel Medina: 2011 - 5º / 2012 - 9º / 2013 - 13º / 2014 - 2º / 2015 - 2º / 2016 - 13º

Jordy Smith: 2011 - 13º / 2012 - 13º / 2013 - Lesionado / 2014 - 25º / 2015 - 13º / 2016 - 5º

Julian Wilson: 2011 - 13º / 2012 - 13º / 2013 - 5º / 2014 - 1º / 2015 - 13º / 2016 - 13º

 

O havaiano, no entanto, conhece como a palma da sua mão o spot de Pipeline. Cresceu por lá, vive por lá, continua a surfar diariamente por lá. John John pode nunca ter vencido um CT em Pipe, mas no currículo conta já com quatro imponentes vitórias no Volcom Pipe Pro (2015, 2013, 2012 e 2011), etapa de status QS3,000 da Qualifying Series. 

 

Um dado importante a referir, até ao momento não há registo de alguma vez um atleta ter conseguido três vitórias consecutivas no Tour. Ah! E a previsão também indica que haverá sempre swell ao longo do período de espera. 

 

Conseguirá o brasileiro bater o recorde? Conseguirá John John vencer, pela primeira vez, o Pipe Masters? Ou protagonizará Gabriel Medina um dos “comebacks” mais espetaculares do mundo do surf competitivo? 

 

Para acompanhar a partir de sexta-feira. 

 

- Gabriel Medina é atirado e parece ter do seu lado o histórico de resultados, apesar de nunca ter vencido em Pipe. Foto: DR

 

Perfil em destaque

  • Constância Simões Constância Simões

    Esta semana fomos até à ponta sul do país, ao Algarve, falar com uma nova promessa do surf feminino… 

Scroll To Top