Um anúncio retirado de um jornal australiano sobre a digressão de Duke Kahanamoku e George Cunha. Um anúncio retirado de um jornal australiano sobre a digressão de Duke Kahanamoku e George Cunha. Foto: DR

Itens relacionados

terça, 11 julho 2017 10:13

Primeiro surfista português no Havai foi George Cunha

Português foi companheiro e amigo pessoal de Duke Kahanamoku...

 

Numa peça recente publicada pelo Tribuna Expresso, ficámos a saber que George Cunha, filho de açorianos nascido em Honolulu, atleta de natação assinalável, companheiro e amigo de Duke Kahanamoku, foi um dos primeiros surfistas da era moderna do surf e muito provavelmente o primeiro surfista português no Havai. 

 

Em 1794 já havia portugueses no Havai, resultado das escalas das rotas baleeiras, mas foi a partir de 1830 que chegaram com mais frequência, principalmente vindos dos Açores, da Madeira e alguns de Cabo Verde. Em 1910, cerca de 23 mil portugueses residiam no arquipélago havaiano, quase 13% da população. Foram eles que trouxeram o cavaquinho, rapidamente rebatizado de ukulele, um ícone da música havaiana.

 

De acordo com a peça, George Cunha descende daquela que é, com muita probabilidade, a primeira portuguesa no Havai: Maria Laureana Gonçalves, da ilha do Pico, que chegou a Honolulu em 1864. Uma das suas filhas, Zaida, foi a mãe de George, nascido a 8 de dezembro de 1894, o terceiro mais novo de cinco rapazes e uma rapariga. O pai, outro açoriano, chamava-se Francisco Cunha.

 

Com o mar à sua frente, os rapazes Cunha não hesitaram em tomá-lo. Típico. Depois deu-se o rumo normal das coisas com o surf a desenvolver-se de forma consistente em torno do Hui Nalu Club de Honolulu, um dos vários na cidade, posto de pé em 1911 por nadadores e surfistas. Entre os cofundadores encontrava-se Duke Kahanamoku, que muitos referem ser o progenitor do surf moderno.

 

No entanto, é de frisar que naquela época o prestígio dos atletas de clubes como o Hui Nalu vinha da natação. Em 1907, quatro dos Cunhas — o “famoso quarteto” Lawrence, Allan, George e Frank, como eram referidos pela imprensa — eram membros do Healani Club. 

 

- A equipa de natação do Healani Club em 1917 com George e Lawrence Cunha em primeiro plano (sentados). Foto: Healani Canoe Club

 

Duke Kahanamoku e George Cunha, juntamente com o agente Francis Evans, embarcaram numa digressão pela Austrália e Nova Zelândia. Estávamos em dezembro de 1914 e o propósito era uma série de eventos de natação em nove cidades. Foram recebidos com pompa e circunstância, como se fossem estrelas de cinema ou tivessem superpoderes, instalados no impressionante hotel The Australia e recebidos pelo governador-geral do país, Sir Ronald Munro-Ferguson, um escocês.

 

Os feitos e a habilidade dos nadadores, a maior parte das vezes em piscinas de água salgada, excitaram o público, não menos do que o surf que contou com duas demonstrações registadas em Freshwater, Nova Gales do Sul. No entanto, a prática já existia no país há pelo menos cinco anos. 

 

O mesmo não se pode dizer da Nova Zelândia que viu a dupla introduzir o surf naquele país em fevereiro de 1915. Foi na Baía de Lyall que tudo aconteceu e até hoje existem placas e homenagens que celebram o Duke e a chegada do surf ao país. Porém, o recatado e discreto George Cunha ficou na sombra.

 

A 3 de setembro de 1969, com 74 anos, George Cunha morreu em Filadélfia. Na altura foi relembrado com um dos pares “de natação da estrela olímpica Duke Kahanamoku”.

 

Artigo original aqui

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top