quinta, 03 dezembro 2015 17:07

MALIK JOYEAUX: 10 ANOS SOBRE A MORTE DO “PETIT PRINCE”

Fez ontem 10 anos sobre a morte de um dos mais influentes surfistas taitianos de sempre…

 

Malik Joyeux faleceu há precisamente 10 anos (31 de março 1980 - 2 de dezembro 2005). Para os que não estão minimamente familiarizados com o nome, este foi um surfista profissional que ganhou fama ao se aventurar pelos portentosos canudos de Teahupoo, a onda besta/slab do Taiti.

 

Malik nasceu em França, mas mudou-se para a Polinésia Francesa ainda numa tenra idade. Foi na ilha de Moorea, onde cresceu com os seus dois irmãos, que começou a fazer surf aos oito anos. Por ali viveu durante anos numa casa sem grandes luxos, apenas uma estrutura de madeira com um telhado... mas rodeado de palmeiras e com o oceano a alguns metros de distância. 

 

O talentoso goofy footer, conhecido na comunidade como “Petit Prince” (pequeno príncipe), acabou por conquistar naturalmente o respeito entre os seus pares, que o viam como um autêntico e puro waterman. Em 2003 foi distinguido com o Tubo do Ano nos Prémios Billabong XXL e um ano mais tarde, em 2004, fez a capa da Surfer Magazine.

 

A 2 de dezembro de 2005, ao apanhar bem 'deep' uma onda de 8 pés (2,5 metros), em Pipeline, ele acabaria por falecer. De acordo com vários testemunhos, foi atingido pelo lip e enrolado debaixo de água. Aamion Goodwin, que apanhou a onda seguinte, chegou a comentar que a prancha do taitiano estava partida, à deriva e à superfície, mas o leash absolutamente intacto. Desta forma, ao se encontrar separado da sua prancha, estabelecer contacto visual foi impossível e, embora tenham sido muitos os fotógrafos e os surfistas que o tenham procurado naquela altura, a verdade é que o seu corpo acabou por ser resgatado 15 minutos mais tarde em Pupuukea, a praia ao lado de Pipe, pelo também surfista Myles Padaca.

 

Na areia, os nadadores salvadores e os paramédicos do North Shore ainda tentaram reanimar Malik, dando tudo de si, mas tal já não foi possível. A autópsia acabou por revelar que, muito provavelmente, este batera com a cabeça na prancha fazendo com que ficasse instantaneamente inconsciente.

 

Entre nós, Malik Joyeaux marcou pela amizade e humildade, mas também pela coragem e atitude em ondas grandes. Verdadeiramente destemido. Foi um dos surfistas mais talentosos e influentes já alguma vez saído da Polinésia Francesa. Morreu há 10 anos, com apenas 25 anos, mas fica a consolação de ter vivido a vida intensamente e da melhor forma que é humanamente possível.

 

R.I.P.

Perfil em destaque

  • Constância Simões Constância Simões

    Esta semana fomos até à ponta sul do país, ao Algarve, falar com uma nova promessa do surf feminino… 

Scroll To Top