Guilherme Fonseca em pleno Heat na Noruega. Guilherme Fonseca em pleno Heat na Noruega. Foto: FPS

Itens relacionados

quarta, 11 outubro 2017 17:34

Seleção Nacional segue imbatível no Eurosurf 2017

 

Seleção nacional conta ainda com quatro atletas nas meias-finais de surf open…

 

A seleção nacional de surf segue imbatível no EuroSurf 2017. Sob condições atmosféricas muito adversas, com forte chuva e vento, os atletas portugueses mostraram-se superiores a toda a concorrência, sendo a única seleção que conta ainda com todos os atletas no quadro principal. 

 

Após um dia de descanso forçado, devido às condições atmosféricas e ao estado do mar, a seleção nacional de surf voltou à praia de Bore nesta quarta-feira, na cidade de Stavanger, na Noruega, para disputar o quarto dia de competição do EuroSurf 2017. O dia prometia ser o mais difícil enfrentado pelo contingente nacional na prova, com a disputa das meias-finais do quadro principal de bodyboard open e feminino, e a realização da terceira ronda de surf open.

 

Os ventos fortes e intensa precipitação que se fizeram sentir desde bem cedo dificultaram ainda mais a tarefa portuguesa, condicionando a prestação dos atletas. O primeiro português a entrar na água foi Daniel Fonseca, campeão nacional de bodyboard. O atleta realizou a melhor prestação na prova até ao momento, dominando o seu heat do início ao fim e obtendo mesmo a melhor pontuação do dia, entre todas as categorias (16,47 pts). 

 

Seguiu-se a representante lusa no boyboard feminino, a ainda júnior Teresa Padrela, que após dificuldade iniciais de adaptação às condições do mar, venceu com categoria o seu heat e eliminou a sueca Lineéa Birnbo. Os dois portugueses seguem assim para a final do quadro principal da respetiva categoria. 

 

Na categoria de surf open, o contingente luso enfrentou duas provas de fogo, com Tomás Fernandes a encontrar Guilherme Fonseca no mesmo heat e Eduardo Fernandes a disputar o apuramento para as meias-finais juntamente com Pedro Henrique, discutindo os dois lugares de qualificação com o irlandês Gearoid McDaid e o italiano Mattia Migliorini. 

 

Não foi fácil a tarefa de Tomás Fernandes e Guilherme Fonseca, que encontraram um talentoso Patrick Langdon Dark, do País de Gales, que discutiu a qualificação com a dupla nacional até aos últimos segundos. Mas a superioridade técnica dos atletas lusos acabaria por fazer a diferença, e Tomás assegurou o primeiro lugar com uma curta diferença de 3 décimas para Guilherme, que se qualificou no segundo posto. 

 

Já no outro heat disputado por atletas nacionais, Pedro Henrique demonstrou toda a sua experiência e qualidade, dominando do início ao fim. O irlandês McDaid daria, contudo, muito trabalho a Eduardo Fernandes, que apenas a poucos minutos do fim conseguiu uma excelente pontuação numa onda e reverteu a classificação, alcançando o segundo lugar e consequente qualificação. Os quatro surfistas nacionais vão agora disputar as meias-finais do quadro principal.

 

David Raimundo, selecionador nacional, considera que “os atletas estiveram perfeitos. Sob condições extremas de frio, vento e com o mar desordenado, todos conseguiram adaptar-se e avançar para a fase seguinte. Amanhã apenas competem as surfistas femininas, pelo que o resto da nossa seleção pode recarregar baterias”. O selecionador não esconde que a seleção está mais perto do grande objetivo: “Estamos muito focados em sermos campeões da Europa”.

 

O dia de amanhã será assim de repouso para o contingente nacional, à exceção de Mafalda Lopes e Carol Henrique, que disputam as meias-finais do quadro principal de surf feminino. Recorde-se que Portugal conta já com João Dantas na final principal de longboard e que é a única seleção sem qualquer derrota ou eliminação até ao momento, na competição. 

 

Entre os atletas, é visível que o sonho de recuperar o título europeu conquistado em 2011 se torna cada vez mais real.

Perfil em destaque

Scroll To Top