segunda-feira, 23 setembro 2013 00:00

ANDREA MOLINA

"O surf é o melhor que aconteceu na minha vida!"

Nome, Idade, Local?
Andrea Molina, 27 anos e sou da Catalunha, Espanha, embora esteja a residir em Portugal há 3 anos.

Estudos/Profissão?
Sou licenciada em história pré-colombiana mas nunca exerci. Gosto mesmo é de dar aulas de surf.

Anos de surf?
Uns 10.

Quiver?
Duas s longboard ssinglefin de 9 pés. Uma para noseriding e outra para apanhar ondas mais cavadas. Uma “6.0” feita por mim, uma 5,9 quad e uma “porta” de madeira mini simmons “4,11” twin fin.

Porque escolheste praticar surf?
A verdade é que não sei. Acho que foi o mar que me escolheu a mim, porque a minha vila natal nem sequer tem praia e na altura que comecei não conhecia ninguém que fizesse surf e nem estava na moda, portanto, foi uma ideia que não sei muito bem de onde veio, mas ainda bem que me deu por ai!

Praticas algum desporto complementar?
Durante dois anos fiz brazilian jiujitsu, mas agora só faço um bocado de yoga. Deveria fazer mais!

Pico preferido?
Aquele onde estejam boas ondas e só alguns amigos para as partilhar.

Última surfada memorável que tenhas dado?
"Metro glass", água quente e transparente, só um amigo e uma amiga na água. Na pedra branca, Ericeira.

Maior susto?
Quando terminei nas rochas do inside de ribeira d’ilhas e de maré cheia. A minha longboard ficou presa nas rochas e tive de tirar o leash, mas mesmo assim não consegui safar-me e foi um filme para sair da água.

Última viagem de sonho?
Para quem vem do Mediterrâneo, onde apenas há ondas, viver em Portugal é mesmo uma viagem de sonho sem fim.

Competição ou freesurf?
Free surf sem dúvida! Não preciso de demonstrar nada, para mim o surf é curtir e partilhar esse grande prazer com o resto do pessoal.

Como está o surf actualmente?
Em Portugal o surf está a melhorar muito, embora isso traduz num crescimento do crowd incrível. Nas raparigas também é assim, embora quase nenhuma se tenha virado para o longboard, modalidade que acho que é a que nos fica melhor, por estilo, tipo de manobras… De facto acho que ainda há muita gente a andar com as pranchas erradas e por isso depois ficam chateados quando alguém apanha mais ondas do que eles. Mas é preciso tempo para as pessoas irem conhecendo as mil alternativas que o surf oferece.

Quem é a tua grande inspiração (nacional e internacional)?
A nível nacional a minha inspiração é o pessoal de ribeira d’ilhas que anda de longboard. E a nível internacional gosto muito do Joel Tudor e há pouco tempo fiquei alucinada com o Joe Aaron, outro surfista espantoso da Califórnia.

Mensagem a deixar?
O surf é o melhor que aconteceu na minha vida. Estou muito agradecida a todas as pessoas que fizeram e fazem com que esta minha paixão seja uma realidade quotidiana para mim: Os meus pais, os meus amigos, a MagicQuiver, a Wavegliders e a Vans. E o Mar, claro.

O que tens a dizer acerca dos 13 anos da SurfTotal?
Acho que é mais um sinal de como o surf está a desenvolver-se na Europa, em especial em Portugal, demonstrando que informação de qualidade está sempre disponível na net.

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top