Itens relacionados

domingo, 22 setembro 2013 00:00

PORTUGAL É 3º NO EUROSURF 2013

Portugal em terceiro lugar no Eurosurf com dois ouros, uma prata e um bronze.

Portugal terminou o Eurosurf em terceiro lugar com Hugo Pinheiro campeão europeu de Bodyboard Open, Ruben Gonzalez campeão europeu de surf senior, Rodrigo Heredia vice-campeão europeu de surf master e Catarina Sousa medalha de bronze na competição de bodyboard feminino.


O título europeu pertenceu à França, que vê assim compensada a forte aposta neste Eurosurf, com uma Selecção fortíssima, com nomes como o ex-WCT Joan Duru. A Espanha, também muito forte este ano, levou o segundo lugar e a surpreendente Selecção das Channel Islands foi quarta classificada, naquele que é o melhor resultado de sempre para a equipa das ilhas britânicas do Canal da Mancha.

Hugo Pinheiro, nome habitual da Selecção e que em 2011 se sacrificou para que Manuel Centeno ganhasse, com todo o mérito, o título europeu, reclamou para si, desta vez, o troféu, com uma performance incrível:
"Estou muito feliz por ter conquistado este título, embora não tenhamos conseguido vencer o título europeu de Selecções. Sim, em 2011 trabalhei para o Manuel ganhar, mas ele já fez o mesmo por mim em 2009. Não interessa qual de nós ganha desde que a equipa saia beneficiada", admitiu Hugo Pinheiro, confessando, todavia, a "fome" que tinha por mais esta honra para uma carreira recheada:
"Queria muito ganhar este título europeu e estou muito contente porque fui primeiro em todas as baterias e seria muito frustrante se não o conseguisse nesta última. Montei uma estratégia diferente de todos e consegui escapar à amadilha que os franceses montaram. Sabia que era o
'alvo a abater' por parte deles, já mo tinham dito pessoalmente e fizeramme uma marcação terrível. Felizmente, como disse, montei a minha estratégia e saí vencedor."
Hugo quis deixar algumas palavras a dedicar o título: "Dedico à minha mulher, que está à espera de bebé, a toda a minha família e ao Seleccionador José Braga, a Duda Birra e Pedro Barbudo, que compõem esta equipa técnica que tantas alegrias nos têm dado."

Ruben Gonzalez, o outro campeão do dia, vencedor do escalão surf senior (mais de 28 anos), congratulou-se com um título que olha para o início da sua carreira:
"Venci no Eurosurf quando tinha 16 anos e voltar a vencer agora, em seniores, é muito bom. Obviamente, gostaria que Portugal tivesse vencido o título por nações, pois trouxémos uma equipa fortíssima, capaz de vencer em todos os escalões, mas nem sempre é possível. Mas o que se leva daqui é, mais do que os títulos, este convívio de Selecção e este espírito de grupo. Foi lindo ver o Hugo Pinheiro celebrar o título ainda na água e isso deu-me pica para ir lá para dentro e vencer!"

Catarina Sousa, por seu turno, era a imagem do desalento, extremamente desiludida por não ter conquistado o ouro naquela que, assume, pode ter sido a despedida da Selecção por parte de uma grande senhora do bodyboard mundial.

"Sinceramente, quase só me apetece chorar. Estive a liderar a bateria desde o início e só perdi o comando a cerca de cinco minutos do final. Este é, provavelmente, o meu último Europeu e tinha gostado de sair com o ouro mas, infelizmente, não foi possível."

José Braga faz um balanço, ainda assim, positivo desta participação nacional que, embora não tenha logrado revalidar o título conquistado na Irlanda, sai com alguns excelentes resultados individuais:
"Obviamente, não saímos completamente satisfeitos pois queríamos repetir o título europeu mas saímos daqui com dois campeões europeus, o Hugo e o Ruben e uma medalha de prata para o Rodrigo e um bronze para a Catarina. Já sabíamos há dois dias que o título estava praticamente
perdido por isso estávamos a apostar tudo nestas finais. Foi uma pena a Catarina, que esteve muito perto,esteve mesmo a liderar a bateria grande parte do tempo. O Rodrigo fez uma grande final, muito bem trabalhada mas era quase impossível chegar ao Dani Garcia, que fez uma final
impecável."

Houve ao longo deste campeonato muitas questões relativas ao julgamento, e muitos casos de pressão extra-desportiva por parte da França. José Braga prefere não dar muita importância ao tema, mas vai dizendo:

"Sim, houve algumas situações com notas estranhas logo no início por parte dos juízes franceses mas houve uma chamada de atenção e as coisas melhoraram. Ainda assim, houve um caso ou outro que toda a gente considerou esquisito... Seja como for, sabemos que estas situações
podem acontecer e isto obriga-nos a ser ainda melhores e a superar-nos para combater esses 'descontos'..."
Uma nota amarga no final de um campeonato que se quer uma festa do Surf e que promete mais ecos nos próximos dias..

  • Créditos fotos: Tiago Segurado/Surftotal

Perfil em destaque

Scroll To Top