Itens relacionados

quinta-feira, 10 outubro 2013 08:02

ADOLESCENTE AUSTRALIANO CAUSA SURPRESA EM SUPERTUBOS

Jacob Wilcox foi, juntamente com Matt Wilkinson, o destaque do dia 1 do Moche Pro Portugal by Rip Curl…

 

Supertubos acordou bem cedo para o primeiro dia do período de espera do Moche Pro Portugal by Rip Curl, com ondas na casa de 1-1,5 metros a brindarem os melhores surfistas do Mundo com tubos que causaram algumas surpresas, nomeadamente no que aos candidatos ao título mundial diz respeito.

 

Mick Fanning e Kelly Slater ficaram pelo caminho, com a grande surpresa do dia a ser o adolescente australiano Jacob Wilcox, vencedor dos trials da etapa portuguesa do circuito mundial, a ter uma agradável prestação e a atirar o 11 vezes campeão do Mundo para a repescagem. Na segunda ronda também vão estar os portugueses Frederico Morais e Francisco Alves, que conseguiram mostrar bom surf e chegaram mesmo a estar na discussão dos respetivos heats.

 

A prova arrancou logo pelas 8 horas da manhã, com o campeão em título do Moche Pro Portugal by Rip Curl, Julian Wilson, a entrar na água para enfrentar Fred Patacchia e Yadin Nicol. Apesar dos sets demorarem longos minutos a entrar e de alguns tubos serem algo difíceis de negociar, Wilson foi o que se deu melhor no mar de Peniche e assegurou a qualificação direta para a terceira ronda, com 11,34 pontos.

 

Nos heats seguintes os top seeds continuaram a marcar o ritmo da competição, com Joel Parkinson a vencer facilmente o heat 2, com 11,50 pontos, frente a Brett Simpson e Raoni Monteiro, e Taj Burrow a bater Dillon Perillo e Travis Logie para arrecadar o triunfo no heat 3, com 13 pontos.

 

Seguiu-se a entrada do primeiro português na água, que ficou a cargo de Frederico Morais, num heat onde media forças com o número 3 mundial Jordy Smith, e o australiano Bede Durbidge. Kikas entrou ao ataque, começando a bateria a tentar apanhar o máximo de ondas e foi amelhando algumas pontuações de backup. O atual campeão nacional chegou mesmo a ter uma oportunidade de ouro para garantir o triunfo na bateria, mas perante uma das ondas do dia, acabou por fazer o drop  atrasado e nem sequer chegou a entubar.

 

O sul-africano acabaria por vencer o heat com 11,43 pontos, contra 9,12 de Kikas e apenas 5,90 de Bede, que nunca pareceu estar na discussão do heat. Com esta derrota na estreia, o surfista do Guincho, de 21 anos, foi atirado para as repescagens e vai ter a árdua tarefa de enfrentar… Kelly Slater.

 

O norte-americano, de 41 anos, foi surpreendido no heat 5 pelo jovem Jacob Wilcox, num heat onde o australiano conseguiu um total de 13,07 pontos, contra 9,60 de Kelly e 5,50 de Kolohe. O vencedor dos trials do Moche Pro Portugal e campeão do Mundo em título Sub-16 da ISA garantiu assim vaga na terceira ronda do evento e promete continuar a causar sensação em Supertubos.

 

Este heat ficou ainda marcado por um pequeno incidente entre Slater e o fotógrafo que estava dentro de água. O norte-americano contestou o posicionamento Luís “Porkito” Pereira e chegou mesmo a mandar o fotógrafo sair da água, o que acabou mesmo por acontecer. “Penso que não afetei a trajetória de Kelly Slater, ele simplesmente estava mal disposto e acabei por ser a vítima”, explicou "Porkito”.

 

No heat seguinte a bandeira portuguesa voltou a entrar na água, desta vez carregada por Francisco Alves, que enfrentava o número um mundial Mick Fanning e o também australiano e sempre extravagante Matt Wilkinson. A precisar de um bom resultado para se manter no Tour em 2014, Wilko acabou por vencer o heat com a máxima pontuação do dia, 17,37 pontos, contra 12,60 de Fanning e 7,56 de Xico.

 

Contudo, a história da bateria poderia ter sido outra, não tive o surfista da Caparica cometido o erro de remar para uma onda sem potencial. Essa ação valeu-lhe a perda para prioridade para Wilkinson, que no set seguinte apanhou a bomba do dia e alcançou a melhor nota do evento até ao momento: 9,77.

 

No sétimo heat, Michel Bourez e Sebastian Zietz entraram com tudo e protagonizaram uma das melhores trocas de ondas do dia, com dois tubos bem encaixados. O havaiano saiu a ganhar nesta disputa com um 8,77 contra 8,67 do taitiano e acabaria também para segurar o triunfo. Kieren Perrow era o terceiro elemento da bateria, mas acabou por ser apenas um mero espectador de um dos duelos mais intensos do dia.

 

A partir daqui, com o swell a baixar cada vez mais, as condições começaram a ficar mais difíceis para os surfistas e os top seeds continuaram a sentir muitas dificuldades para imporem o seu favoritismo. Josh Kerr (heat 8), Kai Otton (heat 10) e Nat Young (heat 12) foram as exceções à regra, seguindo todos para a terceira ronda.

 

Já Adriano de Souza, vencedor em Supertubos em 2011, ficou no último lugar do heat 9, ficando atrás de Damien Hobgood e do compatriota Filipe Toledo. O jovem prodígio brasileiro está em grande forma, depois das meias-finais alcançadas em França, e ainda teve tempo para mostrar alguns aéreos ao muito público que já se fez notar neste primeiro dia do Moche Pro Portugal by Rip Curl.

 

Por fim, destaque para John John Florence, que venceu o heat 11 depois de protagonizar uma das viradas do dia. Miguel Pupo esteve na liderança por muito tempo, com o jovem prodígio havaiano na expectativa e CJ Hobgood totalmente desencontrado com o mar. No entanto, mesmo perto da buzina, John John fez um 7,83 que lhe permitiu seguir em frente.

 

Dado o facto das condições estarem a piorar heat após heat, a organização optou por parar a prova e não colocar na água a segunda ronda, onde muito vai estar em jogo, não só para os portugueses como para as contas do título mundial. Amnanhã o chamada está marcada para as 7H45, mas é muiot provável que seja declarado o primeiro de uma série de lay days que se adivinham, com o campeonato a dever ser retomado entre domingo e terça.

 

Perfil em destaque

Scroll To Top