ActivoBank
Miguel Gomes tem vindo a fazer um trabalho notável à frente da Associação de Surf da Costa da Caparica Miguel Gomes tem vindo a fazer um trabalho notável à frente da Associação de Surf da Costa da Caparica

Itens relacionados

sábado, 09 março 2019 12:34

UMA VOZ QUE VEM DA CAPARICA - A.S.C.C.- CLUBES DE FUTEBOL NO SURF?

Duras criticas à Federação Portuguesa de Surf do Presidente da Associação de Surf da Costa da Caparica devido ao cenário dos Clubes de futebol no Surf.

A recente entrada do Sporting Clube de Portugal e do Estoril Praia no seio do Surf têm gerado uma certa controvérsia no seio da comunidade.

O Surf tem-se vindo a afirmar de uma forma sólida na sociedade Portuguesa como uma atividade/modo de vida e desporto. De cerca 10,000 praticantes nos anos noventa a quase 700,000 na atualidade (segundo o ultimo estudo efetuado em Portugal), o surf massificou e tornou-se como um nicho de maior interesse para alguns dos grandes players económicos.

A entrada dos Clubes de Futebol no Surf em Portugal já não é novidade. Após a tentativa ténue do S.L.Benfica há cerca de uma década atrás eis que agora, quando o Surf se encontra a caminho das olimpíadas em 2020 (Toquio), entram com uma outra atitude o Sporting e o Estoril Praia. Ambos os Clubes estão inscritos na Federação Portuguesa de Surf e já contam com duas contratações de peso no Surf nacional, Teresa Bonvalot representa neste momento o Sporting Clube de Portugal e Miguel Blanco o Estoril Praia.

Há aqui diversas questões que se colocam, nomeadamente qual o verdadeiro interesse destes players no Surf? Será que vêm apenas para procurar protagonismo numa modalidade que agora tem números interessantes? Será que o ensino do Surf enquanto negócio é uma mais valia para estes novos players? será que vêm organizar eventos megalómanos de surf? ou será que a sua aparição vai ser tão rápida quanto o seu desaparecimento assim que perceberem que o estilo de vida surf é de dificil "match" com o Futebol? 

Certo é, nesta nova realidade, que estes clubes se encontram a contratar quadros experientes do surf nacional que os irão ajudar construir a sua entrada o mais forte e direcionada possível no Mundo do Surf.

A Surftotal falou com diversas personalidades que lideram alguns dos principais Clubes de Surf em Portugal, clubes estes que têm vindo a dar um forte contributo na construção das bases do Surf Português.

 

Entrevista integral de Miguel Gomes Presidente da Associação de Surf da Costa da Caparica(A.S.C.C):

1 - Miguel conta-nos como é que tem sido estes últimos 2 anos à frente da ASSCC? quais as maiores motivações para encabeçares este projeto?
Desde já obrigado por fazeres esta entrevista. É sempre bom falarmos com o melhor site de surf da actualidade.
Bem, estes últimos anos foram muito bons para a ASCC. Temos tido uma evolução muito boa no que diz respeito aos eventos existindo um forte investimento tanto na própria estrutura como na comunicação.  Podemos assim fazer cada vez mais e melhor.
Este tem sido um dos grandes objectivos da ASCC. Ser cada vez mais profissionais nos eventos que realizamos para podermos dar aos atletas as melhores condições possíveis. Temos também tido um grande apoio dos nossos sócios o que é muito importante pois sem eles nada faria sentido.
As nossas motivações basicamente foi voltar a reerguer a A.S.C.C. e fazer com que a Caparica volte a estar no topo do surf nacional. Esta parte já esta a caminhar... agora basicamente é  trabalhar juntamente com a C.M.Almada e J.Freguesia da Costa da Caparica de forma a conseguirmos uma sede para podermos desenvolver um trabalho ainda melhor, não só para os nossos sócios mas também para todos os surfistas veteranos da Caparica (que neste momento é outro dos nossos grandes objectivos ) e comunidade em geral (formação, integração, desenvolvimento desportivo).

*Miguel Gomes - Foto/arquivo pessoal

"...No que diz respeito a esta entrada dos grandes clubes de futebol,

acho que a F.P.S. deveria-se ter precavido

e tentado proteger mais os clubes tradicionais ..."


2 - Qual ou quais os principais objetivos de um clube de surf como a ASCC?
Bem, os nossos principais objectivos é fazer captação de novos valores e ajuda-los a se formarem como surfistas. Queremos muito que os atletas da Caparica se sintam apoiados e que saibam que tem alguém que se preocupe com eles, seja no crescimento técnico e mesmo de valores, nas inscrições, no encaminhamento e orientação nas burocracias, seja a tentar ajudar com patrocínios ou encaminha-los da melhor maneira possível nesse sentido.
Outro dos objectivos é do de criar circuitos fortes para que eles possam treinar para outros campeonatos.

3 - Tem fins lucrativos?
A ASCC é uma associação sem fins lucrativos. A receita é direccionada em investimento para melhorar as condições para os seus associados.

4 - Qual ou quais os maiores desafios porque passa um clube como a ASCC?
Um dos maiores desafios será sempre encontrar pessoas que queiram vestir o associativismo. Poucos querem disponibilizar o seu tempo para trabalhar no desenvolvimento das modalidades. O crescimento de um clube envolve pessoas que se dedicam, estão disponíveis e criam novos projectos, não só para o bem pessoal para um todo que incluí toda a equipa, sócios e comunidade. É nesse sentido que trabalhamos....

5 - Sobre a entrada dos clubes de futebol no surf, agora que o Sporting e Estoril entraram, qual a tua opinião?
Nenhum destes clubes tem espírito de praia, não devem saber o que são correntes e ou agueiros muito menos o que é a cultura do Surf.
De norte a sul, o trabalho desenvolvido até agora foi realizado por pessoas da praia, que cresceram na praia, a respirar as ondas e o Surf... foram anos e anos de trabalho árduo, com muitos obstáculos, com tantas pessoas a lutarem e vencerem por transformar uma imagem de um "Surf dos rebeldes e drogados" (que nem num autocarro se podia entrar) para o que o Surf é nos dias de hoje e de amanhã. Sim, porque em 2020 há Olimpíadas com Surf...será coincidência?
 
Achamos que infelizmente, com a entrada destes clubes, vai haver muita gente deslumbrada que vai achar que é normal eles se envolverem... que até pode ser bom... etc… Nós temos uma visão mais purista, o que é surf é surf, futebol é futebol... ponto. Se olharmos para as grandes potencias do surf como a Austrália, não vemos clubes de futebol com atletas de surf . Ou no Brasil, que aliás no dia em que o futebol se misturou com o Surf, arruinou os clubes que trabalhavam na praia e teve um período negro quase sem provas. O que vemos nos países que identificamos como referência da cultura do Surf ( Austrália, EUA/Hawai. Brasil, ...) são clubes dedicados ao surf onde estão todas as lendas do Surf a passar a sua experiência aos mais novos e a viver o Surf como se tivessem 15 anos. Isto sim é cultura de Surf.
 
O  maior receio é que estas potências económicas venham tirar o pouco protagonismo que os clubes portugueses tem.. é fácil acenar com a nota e levar as referências nacionais (seguindo-se claro os mais novos). Para quem irão trabalhar os clubes? Passaremos a trabalhar na formação para aqueles que se destacam serem levados para estes clubes (como se passa no futebol!). Será este o papel que queremos seguir?... No que diz respeito aos clubes de futebol, basta ver a projeção que um anuncio de uma contratação teve para entendermos o desfasamento entre os reais clubes de praia para estes clubes...onde ficam os verdadeiros clubes do surf nos media? não estão pois não temos o peso de um Sporting ou de um Benfica…..isto é algo preocupante pois somos nós os verdadeiros embaixadores do desporto.  achamos que isto deve ser algo que a comunidade do surf deve pensar e ter em atenção para as futuras gerações não pensarem que estes clubes são os fundadores do desporto e de toda esta cultura.

6 - Consideras como potencial concorrência para os clubes de surf tradicionais que têm vindo a fazer um trabalho de bases no surf nacional?
Achamos que é uma concorrência desleal a todos os níveis seja pelos media ate pela parte monetária clubes com uma dimensão como Benfica ou Sporting podem se dar ao luxo de gastar  verbas que nunca os clubes tradicionais de surf poderiam gastar   logo será muito mais dificil os clubes tradicionais poderem contratarem ou manterem alguns dos possíveis atletas que foram criados nesses clubes pois estes clubes sao maioritariamente clubes sem fins lucrativos..... Temos que pensar em conjunto se realmente é isto que a comunidade do surf pretende.....

"No Brasil, no dia em que o futebol se misturou com o Surf,

arruinou os clubes que trabalhavam na praia

e teve um período negro quase sem provas..."

7 - Ultima questão, qual o papel da Federação Portuguesa de Surf (F.P.S.) na ajuda aos clubes de surf tradicionais?
Bem a FPS pouco ou nada ajuda os clubes tradicionais. Praticamente todas as provas são organizadas e suportadas na totalidade pelos clubes e associações. No que diz respeito a esta entrada dos grandes clubes de futebol, acho que a FPS deveria-se ter precavido e tentado proteger mais os clubes tradicionais pois são estes que carregam a bandeira da FPS desde o inicio e defendem sempre no terreno tudo o que as modalidades representam.......com isto não estamos a atacar a FPS mas sim a transmitir uma realidade com o objectivo de num futuro próximo as coisas mudarem para o bem de todos....

8 - Algo mais a dizer?
Obrigado Surftotal por continuarem a fazer este grande trabalho no Surf Português.

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top