Foto: Vasco Lázaro / Wavesolutionswaterhousings Foto: Vasco Lázaro / Wavesolutionswaterhousings

Itens relacionados

segunda-feira, 16 novembro 2020 12:03

A HISTÓRIA POR TRÁS DA ONDA DE SONHO DE JOÃO GUEDES NA CAVE

E não só...

Portugal tem recebido nas últimas semanas ondulações que têm proporcionado sessões clássicas pela nossa costa.

O ex-campeão nacional João Guedes foi um dos surfistas que protagonizou uma dessas sessões, como nos conta nesta entrevista exclusiva à Surftotal.

 

 

Foto: Deeply

 

 

Estas duas últimas semanas tivemos ondas incríveis no nosso país e vimos que tu estiveste nos locais certos às horas certas, o que resultou em sessões épicas. Quais foram os fatores que te influenciaram a estar no momento certo de cada ondulação em sítios diferentes?

É verdade, as últimas semanas foram de dias de surf incríveis em todo o país. Gostava de ter estado em todos os sítios onde deram boas ondas mas isso teria sido quase impossível. Mas tendo em conta que perto de casa também estava muito bom deixei-me estar na minha rotina a surfar nos locais que me são mais familiares.

 

Sabendo de antemão que a Nazaré ia receber um swell gigante no final de Outubro, como foi para ti viver esses dias?

Foi sem dúvida um grande swell. É algo que nunca sabemos bem o que vai ser, por isso considero que os dias antes de um swell destes são sempre dias de alguma tensão e preparação, misturado com curiosidade e adrenalina.

 

 

 

Foto: Deeply

 

 

 

Quando fazemos surf  procuramos sentir uma sensação, que pode ser distinta para cada surfista. Descreve-nos as sensações e momentos que viveste na Nazaré ao longo dos dois dias de grande swell que entrou na Praia do Norte.

Sou um surfista que gosta de ver e sentir o mar por isso estava bastante fascinado com aquelas ondas e com a perfeição de um swell tão grande. Acho que só o facto de poder estar ali dentro já era um privilégio. Confesso que não estava no meu 100%, por vários motivos e não fazia tenções de surfar, mas ao mesmo tempo não resisti e tive de tentar surfar. Muita coisa me dizia para não ir mas depois há um outro sentimento que nos puxa e ao qual às vezes não conseguimos resistir, coisas do surf!!

 

 

Esta semana tiveste muita ação no teu quintal, desta vez em modo tube rider. Na segunda-feira passada apanhaste tubos incríveis numa direita algures pela Ericeira. Como é para ti fazer esta transição, tanto no que diz respeito às pranchas como à abordagem às ondas?

No surf a coisa que mais gosto de fazer é mandar tubos, é sem dúvida aquilo que mais mexe comigo, que me faz mudar a minha vida toda durante esses dias. Posso passar dias sem surfar mas dias de bons tubos não consigo deixar passar, mesmo quando não vou surfar não consigo deixar de ir ver o mar aqui e ali para ver e estudar ondas e spots diferentes, é um vício! Quanto às pranchas, já desenvolvo um trabalho de muitos anos com a Polen por isso sejam quais forem as condições sei que posso confiar nas pranchas que tenho porque não me vão deixar ficar mal.

 

 

 

Foto: Deeply

 

 

 

Partilhaste esta sessão de free surf com o Frederico Morais, o Nic Von Rupp, o Miguel Blanco e o Kanoa Igarashi. Como foi a sessão?

Foi mais uma boa sessão de surf mas com um crowd de alto nível.

 

 

Nesta mesma semana, precisamente na quinta-feira, tiveste um momento muito especial na Cave ao surfares uma das bombas do dia - um tubão de backside. Eu sei que o António Silva foi responsável por teres apanhado essa onda que te vai ficar na memória. Queres partilhar essa história?

Sim é verdade, o António como muitos sabem é o maior aficionado daquela onda, é quem melhor a conhece e quem mais horas dedicou aquela onda. Ele e o João Macedo tinham tido uma grande sessão na semana anterior para a qual me convidaram mas que eu, por outros motivos, infelizmente não participei.

Eu e o António já temos um relação de longa data e  mais uma vez me provou o bom amigo que sabe ser.

Desta vez ele e o Vasco Lazaro iam com a missão de me pôr e fotografar na melhor onda do dia. Eu pessoalmente ia só participar na sessão e tentar por o António nas melhores ondas que entrassem.

Depois de eu ter tentado várias vezes puxá-lo nas melhores mas sem sucesso, pois o mar teimava em não cooperar connosco, ele começou a insistir para que eu tentasse apanhar uma. Tentamos duas ondas, mas o mar estava a baixar muito e a maré a encher, acho que já ninguém acreditava, só mesmo ele é que ainda insistia que havia de entrar uma bomba para mim. E a verdade é que naquela que eu já considerava a última tentativa entrou o maior set do dia com duas ondas. Ele só anunciou “bora que vou-te pôr na melhor do dia” e assim foi, knowledge!

Foi alto momento, a onda era sem dúvida incrível e quando acabei a onda olho para trás e vem o Miguel Blanco na onda de trás também num tubão incrível. Adrenalina ao máximo e o pessoal todo que estava no canal e na falésia aos gritos durante aquelas duas ondas foi dos momentos mais incríveis que vivi no surf.

Ficarei sempre grato a eles os dois por aquele momento!!

 

 

Foto: Vasco Lázaro / Wavesolutionswaterhousings

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top