Apesar da melhor prestação em Saquarema, Kikas é afastado de prova. Apesar da melhor prestação em Saquarema, Kikas é afastado de prova. Foto: WSL

Itens relacionados

terça, 15 maio 2018 14:31

Rio Pro: Michael Rodrigues vira bateria com aéreo e afasta Frederico Morais

Português termina prestação em 13.º lugar... 

 

Bateria bem intensa e disputada a que antecedeu o confronto de Frederico Morais e Michael Rodrigues, que viu Ian Gouveia debitar uma incrível onda de 9.93 pontos e avançar à ronda 4 de forma bem segura, deixando pelo caminho nada mais nada menos do que o gigante Jordy Smith (que ficou a precisar de 8.54 para vencer). 

 

Ora vejam bem isto: 

 

 

No segundo Heat desta ronda do Oi Rio Pro a toada manteve-se com Morais a dificultar a vida a Rodrigues nos instantes iniciais. Um tubão, a abrir as hostilidades, bem aberto e largo, valeu ao português 8.17 pontos. Yep, vamos a isso!

 

Diz-se que o português tem que aperfeiçoar a técnica nos tubos, mas, para já isto estava a correr bem e soava-nos muito bem. Morais estava com o faro (de tubos) apurado.

 

Um pouco antes, o vento começou a rodar e a soprar mais de lado (cross-shore). Ainda assim, a Barrinha continua a surpreender com umas secções bem tubulares e convidativas. Uma segunda onda de Morais (2.90), com uma série de ataques ao lip, deixa o adversário em combinação - 11.07 pts. 

 

Passaram cerca de 11 minutos até à primeira onda do rookie brasileiro. Bem, e que onda. Um tubão vindo bem lá de trás, bem pesado e amplo, portentoso, com Rodrigues a conseguir encontrar a porta de saída. O painel de juízes atirou-lhe um 7.27, deixando-o agora a precisar de um backup na casa dos 4 pontos (3.81) para virar o heat a seu favor. 

 

 

Aos 18 minutos, o brasileiro apanha uma bomba, faz a curva do bottom-turn em alta velocidade e logo depois desfere um carve enorme e bem desenhado. Porém, a onda morre, desaparece… e recebe apenas 3.60 pelo seu esforço. Mantém-se em segundo a correr atrás do prejuízo. 

 

Seguiram-se alguns minutos de espera e de maior seleção na escolha de ondas. Michael Rodrigues tenta um reverse air enorme no inside, mas cai. Consegue a prioridade e volta a tentar a manobra, sem qualquer grab, enorme apesar de não ser uma secção crítica… e isto quando faltavam 5 minutos. 

 

A situação muda a favor do brasileiro, pois este consegue 6.43 pts e deixa agora o português em segundo lugar no heat, a precisar de 5.53 para regressar à liderança. 

 

Sem grandes opções de escolha de ondas nos minutos que se seguiram, Morais acaba por se despedir do Oi Rio Pro, precisamente no Heat onde apresentou a melhor performance, o que não deixa de ser contraditório e algo insatisfatório. 

 

13.º lugar para o português na quarta de 11 etapas que compõem o circuito, precisamente a mesma classificação alcançada neste evento em 2017, naquele que foi o seu ano de estreia no World Championship Tour da WSL. Até ao momento Frederico alcançou precisamente os mesmos resultados que havia registado no ano anterior13.º em Snapper Rocks, 5.º em Bells Beach, 25.º em Margaret River e 13.º no Brasil. 

 

A próxima etapa acontece ainda este mês (27 de maio a 9 de junho) em Keramas, Bali, na Indonésia. 

 

 

Os confrontos que se seguem no Round 3

 

H3: Filipe Toledo x Keanu Asing

H4: Kolohe Andino x Willian Cardoso

H5: Griffin Colapinto x Kanoa Igarashi

H6: Julian Wilson x Alejo Muniz

H7: Gabriel Medina x Mikey Wright

H8: Sebastian Zietz x Tomas Hermes

H9: Adrian Buchan x Zeke Lau

H10: Italo Ferreira x Yago Dora

H11: Jeremy Flores x Wade Carmichael

H12: John John Florence x Miguel Pupo

 

Continua a acompanhar a ação, em direto, neste LINK

Perfil em destaque

  • Rodrigo Chaves Rodrigo Chaves

    Conhece um dos jovens surfistas da região da Grande Lisboa… 

Scroll To Top