Brisa Hennessy, da Costa Rica, vai ser um dos novos rostos no CT 2019. Brisa Hennessy, da Costa Rica, vai ser um dos novos rostos no CT 2019. Foto: Rip Curl

Itens relacionados

terça, 13 novembro 2018 09:21

Brisa Hennessy e Macy Gallaghan qualificadas para o World Tour 2019

Jovens surfistas asseguram presença na elite na próxima temporada… 

 

Com o final do Port Stephens Toyota Pro (QS6,000), na Austrália, a última etapa do WQS feminino, ficaram também seladas as contas do circuito mundial de qualificação feminino. Infelizmente, ao perder cedo no evento, a portuguesa Teresa Bonvalot ficou afastada dos lugares de acesso, mas o mesmo já não se pode dizer de Macy Gallaghan (Austrália) e Brisa Hennessy (Costa Rica) que serão dois novos rostos para 2019. 

 

A primeira, fez a final com a conterrânea Niki Van Dijk e, embora não tenha vencido o campeonato (13.34 vs. 14.56 pts), acabou por garantir entrada no World Tour do próximo ano. A australiana, de 17 anos, que foi campeã mundial júnior em 2016 e o ano passado falhou a qualificação por um heat, desta vez não vacilou e, ao terminar em segundo na prova, acabou por pular até ao 6.º lugar do ranking. 

 

Quem se junta a Macy é a costarriquenha Brisa Hennessy, de 19 anos, que corre pela Rip Curl desde os 13 anos e vive correntemente em Fiji, depois de ter cruzado a Costa Rica e o North Shore de Oahu. Hennessy eliminou as norte-americanas Sage Erickson e Kirra Pinkerton até alcançar as meias-finais, resultado que a lançou para o sétimo posto do ranking. 

 

 

É certo que só no final do WCT no Havai (Honolua Bay, Maui, 25 novembro a 6 dezembro) se saberá quem entrará nas contas da qualificação em definitivo, pois existem surfistas que poderão garantir a qualificação por via dupla (casos de Caroline Marks, Niki Van Dijk e Coco Ho) abrindo espaço para outras atletas. 

 

Em todo o caso vale mencionar que as guerreiras do QS Philippa Anderson (Austrália) e Mahina Maeda (Japão), bem como a surfista do CT Sage Erickson (EUA), perderam nos 1/4 de final e falharam o “cut” de entrada no WCT 2019. 

 

O World Tour feminino é composto pelas 10 melhores surfistas do CT, as 6 melhores do QS e 1 wildcard. O ano passado Caroline Marks (EUA), que está atualmente na frente do WQS, bateu recordes ao qualificar-se para o CT com apenas 15 anos.  

Perfil em destaque

Scroll To Top