Porque a Costa Rica está a atrair tantos surfistas Foto: surfholidays

Itens relacionados

terça-feira, 16 fevereiro 2021 12:06

Porque a Costa Rica está a atrair tantos surfistas

Neste momento de pandemia...

Costa Rica, país na América Central com uma enorme biodiversidade, sempre foi um dos destinos mais populares para quem procura desfrutar da natureza.

O país é conhecido pelas suas florestas tropicais, vulcões e praias, que têm feito as delícias de muitos surfistas neste momento de pandemia, entre eles os portugueses Nic Von Rupp e Santiago Graça que rumaram ao país para desfrutar das suas ondas.

 

 

A Costa Rica destaca-se pelas suas belezas naturais.

 

 

Mas porque é que os surfistas escolhem a Costa Rica em detrimento de outros destinos neste momento de pandemia?

 

Desde o dia 1 de novembro, a Costa Rica permite a entrada de voos de todos os países do mundo, desde que atendam os requisitos de visto, quando necessário, e os requisitos estabelecidos no contexto da pandemia.

Ao mesmo tempo, o Governo facilitou a entrada de turistas e desde o dia 26 de outubro de 2020 eliminou a exigência de exames para detecção do coronavírus. Nem costarriquenhos nem estrangeiros recebem ordens de confinamento ao entrar no país por via aérea, o que, aliado ao número reduzido de casos de covid no país, e o facto de esta ser uma boa altura para o surf,  torna a Costa Rica um destino aliciante.

Se a tudo isto somarmos o facto de o país ter um clima tropical que se faz sentir durante todo o ano, e água quente que permite surfar apenas de calções, percebemos como podemos encontrar aqui sessões de surf idílicas neste período frio que vivemos em Portugal.

 

 

Santiago Graça aproveitou o atual momento para treinar nas ondas da Costa Rica – Foto: renataaphoto

 

 

O surf na Costa Rica

 

Banhada de um lado pelo mar do Caribe e do outro pelo Oceano Pacífico, a Costa Rica recebe boas ondas em todas as épocas do ano, dependendo da região.

O lado caribenho tem uma curta temporada para surf, de novembro a maio, mas quando está a funcionar tem grandes ondas, que resultam de tempestades tropicais que vêm do México.

A costa do Pacífico tem ondas mais pequenas, mas mais consistentes, geradas por sistemas de baixa pressão localizados na Nova Zelândia.

A maior temporada de swell vai de abril a novembro, mas a temporada de surf limpa vai de novembro a abril, quando ondas causadas por baixas pressões atingem a costa do Pacífico, com os ventos offshore a serem predominantes. Normalmente, nas surfadas matinais está offshore e à tarde há um leve onshore, por isso vai valer a pena acordar cedo.

 

A Costa Rica tem vários surf breaks conhecidos que atraem surfistas de todo o mundo e de todos os níveis.

 

Eis alguns surf spots por onde escolher ao fazer uma surftrip pela Costa Rica:

 

 

Witch’s Rock

Witch's Rock está localizado perto de Playa Naranjo, no noroeste de Guanacaste. Playa Naranjo faz parte do Parque Nacional Santa Rosa, o que significa que este surfspot é apenas acessível de barco. Conhecido pelos locais como Roca Bruja, Witch's Rock ficou famoso ao aparecer no filme The Endless Summer 2.

Este surf spot funciona melhor com swell de sudoeste a noroeste, meia maré a maré alta e vento offshore. Witch's Rock é uma onda de classe mundial reservada a surfistas avançados.

 

 

 

Ollie’s Point

 

Ollie’s Point é talvez um dos locais mais famosos da Costa Rica. Também apresentado no filme The Endless Summer II, Ollie’s Point oferece longas direitas. O point break é apenas acessível de barco e, devido à sua localização um tanto protegida, precisa de um grande swell de sudoeste e maré baixa para ficar on. Este é um surf break para surfistas de nível iniciante a avançado.

 

 

 

Playa Tamarindo

Tamarindo é um beach break exposto que oferece surf consistente sendo um dos surf spots mais versáteis da península de Guanacaste com ondas para todos os níveis, embora quando há swell significativo, as condições são melhores para surfistas de nível intermédio a avançado. O beach break oferece direitas e esquerdas e costuma ter bastante cowd. 

 

 

 

Pavones

Pavones é uma onda de classe mundial e a esquerda mais longa do país. Pavones requer um grande swell de sul para ter um bom desempenho, pelo que a melhor altura para surfar no local é entre maio e novembro.  Conhecido como um dos surf spots mais isolados e remotos do país, o point break é considerado a segunda maior esquerda do mundo, depois de Chicama, no Peru, e embora seja de difícil acesso proporciona surfadas inesquecíveis com um comprimento de onda entre os 400 a 900 metros.

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top