Foto: extremehotels. Foto: extremehotels.

Itens relacionados

terça, 21 janeiro 2020 10:42

A FASCINANTE HISTÓRIA DA EVOLUÇÃO DO SURF

Até aos dias de hoje...

O surf é uma das modalidades desportivas que mais tem vindo a atrair novos praticantes nos último anos, mas os seus primeiros praticantes viam-no de uma forma muito diferente de como a vemos hoje acreditando que a prática seria um culto ao espírito do mar.

Para compreendermos um pouco mais o que levou a uma mudança tão grande na forma como vemos o surf nos dias de hoje vamos recuar um pouco no tempo e mergulhar na sua impressionante história.

 

COMO TUDO COMEÇOU

O ato de surfar com uma prancha de madeira teve origem na Polinésia Ocidental há mais de três mil anos.

O surf tornou-se mais popular no final dos anos 1700 e pensa-se que os primeiros surfistas eram pescadores que usavam as pranchas como transporte dos seus barcos para a costa.

 

Em 1778, James Cook chegou ao Havai quando estava na sua terceira viagem de descoberta no Pacífico Sul a bordo do  HMS Endeavor, um navio de pesquisa da Marinha Real Britânica.  Mais tarde, James Cook  acabou por ser morto pelos havaianos. O tenente James King, membro da tripulação do HMS Endeavor, recebeu a tarefa de trazer o Diário do Capitão Cook de volta a Inglaterra e descreveu duas páginas do diário em como viu os havaianos a surfar em pranchas de madeira um pouco maiores que eles.

 

Após a chegada do capitão Cook assistiu-se a uma tentativa de americanizar os polinésios e, em 1820, os missionários cristãos calvinistas chegaram de Inglaterra e ensinaram-nos a acreditar em apenas um Deus, desencorajando muitas tradições e práticas culturais, entre elas o surf.

 

 

Foto de um surfista com a roupa tradicional e Diamond Head no fundo. Oahu, 1890. Foto: vintage everyday

 

Em 1885, três irmãos, sobrinhos do rei Kalakaua, introduziram o surf em Santa Cruz na Califórnia. Os príncipes Jonah Kuhio Kalanianaole, David Kawananakoa e Edward Keliiahonui foram para a Califórnia como estudantes no St. Matthew's Hall, uma academia militar em San Mateo, e aproveitaram os fins de semana para surfar nas ondas californianas nas suas pranchas de madeira antes de regressar ao Havai após terminarem os seus estudos.

 

Os principes havaianos, sobrinhos do rei Kalakaua   Foto: santacruzwaves.

 

No início dos anos 1900, o surf era quase um desporto morto no Havai. Quando anteriormente havia centenas de surfistas, agora havia apenas um pequeno grupo. Sem a dedicação de alguns reis havaianos como David Kalakua, um defensor de todos os desportos havaianos, o surf poderia não ter sobrevivido até o século XX.

Em 1907, a história do surf no Havai começou a mudar quando o famoso autor Jack London chegou a Waikiki, onde foi apresentado ao "The Waikiki Swimming Club".

Jack London conheceu a equipa que por sua vez  o apresentou ao jornalista Alexander Ford Hume.

Hume introduziu Jack London ao surf e foi assim que conheceram o beach boy George Freeth.

Jack London escreveu um artigo sobre o surf, o “Royal Sport: Surfing in Waikiki” que foi publicado em várias revistas até 1911.

Em 1907, depois de ler o artigo de Jack London, Henry Huntington, magnata do setor ferroviário e imobiliário, convidou George Freeth para ir à Califórnia fazer uma demonstração de surf, um golpe publicitário para promover a abertura da ferrovia Los Angeles-Redondo-Huntington. Freeth aceitou o convite e ganhou o título de “o primeiro homem a surfar na Califórnia”, mas o mesmo não era propriamente verdade uma vez que os príncipes havaianos já o tinham feito em 1885.

Freeth também foi a primeira pessoa a criar uma prancha mais curta, diminuindo para metade o grande design de 16 pés. A sua introdução do surf aos espectadores nas praias da Califórnia desencadeou uma revolução no design de pranchas e nas técnicas de surf, tornando a Califórnia num campo para a expansão e inovação da modalidade.

 

George Freeth    Foto:wikipedia

 

Em 1912, Duke Paoa Kahanamoku, famoso surfista e nadador havaiano, passou pelo sul da Califórnia a caminho dos Jogos Olímpicos de verão em Estocolmo, Suécia. As suas demonstrações de surf em Corona del Mar e Santa Monica causaram uma sensação muito maior que a de Freeth. 

 

Duke Paoa Kahanamoku teve um grande papel na divulgação do surf ao mundo Foto. surfertoday

 

Duke tornou-se mundialmente famoso ao ganhar uma medalha de ouro olímpica no estilo livre de 100 metros em Estocolmo e novamente em Antuérpia em 1916. O havaiano rapidamente se tornou o favorito dos diretores de elenco de Hollywood e sempre que podia usava a sua fama para apresentar o surf ao mundo.

Em 1915, Duke introduziu o surf na Austrália ao surfar em Freshwater Beach, em Manly, colocando a Austrália no caminho do status de superpotência no mundo do surf.

Já no Havai, no verão de 1917, Duke fez uma onda lendária em Kalehuawehe, chamada de Outside Castles, e surfou por mais de 1,6 km numa prancha de pau-brasil de 16 pés. Anos depois, Duke disse a um jornalista que a onda poderia ter 30 pés de altura. O feito nunca foi igualado por nenhum outro surfista tornando Duke numa figura lendária no surf.

 

Duke é uma lenda no Havai e a sua estátua na praia de Waikiki é um símbolo dos seus feitos    Foto:patasudakasurftrips

 

Mas foi somente na década de 1960 por altura do lançamento dos filme “Gidget Goes Hawaiian” e  “Beach Party” que a popularidade do desporto aumentou exponencialmente, transferindo o surf de uma cultura underground para uma moda trazendo um crowd nunca antes visto a muitos surf breaks.

 

Os anos 60 viram o surf crescer popularizando o desporto Foto: almasurf

 

Todos estas figuras e acontecimentos levaram a um aumento dos praticantes da modalidade em todo o mundo tornando o surf num respeitado desporto ainda hoje em ascensão.

 

Fontes: santacruzwaves, surfingforlife, timetoast, discover-oahu, washington times.

Perfil em destaque

Scroll To Top