Duke Kahanamoku nos Jogos Olímpicos de Estocolmo, em 1912. Duke Kahanamoku nos Jogos Olímpicos de Estocolmo, em 1912. Foto: COI

Itens relacionados

quinta, 04 agosto 2016 13:35

100 ANOS DEPOIS DO PEDIDO DE DUKE KAHANAMOKU O SURF ESTÁ NAS OLIMPÍADAS

Aquele a quem chamam de o "pai do surf moderno" vê finalmente o sonho ser cumprido em 2016… 

 

Duke Kahanamoku é considerado o pai do surf moderno. Foi nos Jogos Olímpicos de verão de 1912, em Estocolmo, como nadador, que conquistou a sua primeira medalha de ouro olímpica. Mais tarde, em 1920, as suas capacidades voltaram a ser testadas nos JO de Antuérpia. Quatro anos depois, em 1924, foi Paris que consagrou o waterman havaiano. No total, Duke conquistou cinco medalhas, sendo três de ouro e duas de prata.

 

Entre as suas participações olímpicas, o havaiano viajou pelo globo e aproveitou para promover o Surf. Ganhando até o epíteto de “Pai do Surf”. Na verdade, segundo consta nos anais da história, há mais de cem anos que Duke pedira ao Comité Olímpico a inclusão do Surfing nos Jogos Olímpicos. Ontem, finalmente, o sonho cumpriu-se. O Surf vai estar presente nos Jogos de Tóquio 2020. Sem dúvida, um momento único que pode trazer muito à modalidade. 

 

No entanto, embora se saiba que esta é uma decisão exclusiva para os Jogos de 2020, não havendo qualquer certeza que o Surf se mantenha para as edições seguintes, o processo foi longo e complicado, resultando num grande trabalho por parte da ISA - International Surfing Association e do seu presidente, Fernando Aguerre. 

 

Fica a conhecer alguns dos passos mais importantes para a inclusão do Surf nos Jogos Olímpicos: 

 

Maio de 1912 - O “Pai do Surf”, Duke Kahanamoku, conquista a sua primeira medalha de ouro, em Estocolmo, e pede pela primeira vez a inclusão do Surfing no Jogos Olímpicos;

Setembro de 1920 - Duke Kahanamoku vence duas medalhas olímpicas em natação (100 metros livres e por equipas EUA nos 4x200m) em Antuérpia; 

Novembro de 1992 - O presidente da International Surfing Association (ISA), Jacques Hele, inicia o movimento do surf nas Olimpíadas; 

Abril de 1994 - Jacques Hele marca presença em várias reuniões internacionais e mantém o intuito de incluir o surf nos JO; 

Maio de 1994 - Fernando Aguerre entra na ISA e inclui o “surf olímpico” no programa da associação, planeando a sua inclusão nos Jogos de Sydney 2000; 

Agosto de 1994 - A ISA pede para ser reconhecida pelo Comité Olímpico Internacional (COI); 

Março de 1995 - Fernando Aguerre recebe apoio da indústria do surf e consegue levar os ISA World Surfing Games para Huntington Beach, na Califórnia; 

Abril de 1995 - O Comité Executivo do COI reconhece provisoriamente a International Surfing Association (ISA); 

Junho de 1995 - No congresso anual do COI, a decisão do Comité Executivo passa a final, reconhecendo em pleno a ISA como a Federação Internacional para o Surf e Bodyboard; 

Setembro de 1995 - Na sequência do reconhecimento, a ISA faz uma doação especial ao museu do COI; 

Maio de 1996 - O presidente da FIFA, João Havelange, a maior federação desportiva do mundo, torna-se embaixador para o Surf; 

Agosto de 1996 - O Questionário de Admissão para as Olimpíadas é formalizado e enviado para o COI; 

Outubro de 1996 - Os ISA World Surfing Game, em Huntington Beach, tornam-se o maior evento de surf mundial, com mais de 600 atletas de 36 países; 

Novembro de 1997 - O COI solicita duas bandeiras da ISA, uma para a sede do COI e outra para o seu museu; 

Agosto de 2002 - A ISA recebe uma carta a dizer que o Surf não fará parte dos JO de Pequim 2008, porque ainda não atingiu a meta de 75 nações associadas; 

Novembro de 2003 - A ISA reenvia novo documento, que visa uma reavaliação, para o COI; 

Junho de 2008 - O presidente da ISA participa no SportAccord, onde apresenta a inclusão do Surfing nos programas culturais e educacionais das Olimpíadas da Juventude em Singapura 2010 e nos JO de Londres 2012;

Agosto de 2008 - Fernando Aguerre, presidente da ISA, publica "Surfing in the Olympics”, uma peça fundamental para a inclusão nos Jogos Olímpicos; 

Outubro de 2009 - Fernando Aguerre participa oficialmente no Congresso Olímpico; 

Julho de 2011 - O Surf não é incluído nos JO de 2020, apenas o Wakeboard, nos desportos de prancha, é mencionado; 

Setembro de 2015 - A organização de Tóquio 2020 propõe o Surfing para as suas Olimpíadas; 

Junho de 2016 - O COI apoia a proposta de acrescentar o Surf, e outras quatro novas modalidades, no programa do JO Tóquio 2020; 

Agosto de 2016 - Na 129ª reunião, o COI confirma em definitivo a inclusão do Surfing no programa desportivo de Tóquio 2020. 

 


Perfil em destaque

Scroll To Top