Frederico Morais protege-se do sol nos tubos de Lemoore. Frederico Morais protege-se do sol nos tubos de Lemoore. Foto: WSL/Rowland

Itens relacionados

sexta, 07 setembro 2018 08:23

A história acontece no Surf Ranch

Já arrancou uma das provas do WCT mais aguardadas do ano… 

 

Aquilo que para muitos seria impensável, ontem tornou-se possível com o arranque do Surf Ranch Pro - a 8.ª etapa do Championship Tour 2018 que tem lugar na piscina de Lemoore, Califórnia. A prova, que tem lugar em ondas artificiais, vale pontos para o campeonato mundial e pode mesmo ter peso nas contas para a atribuição do título mundial. 

 

A competição em si, a início, podemos considerar que foi algo monótona, lenta e com pouca ação. Mas já sabem o que se diz: Primeiro estranha-se, depois entranha-se. É preciso compreender o formato. É certo que estaríamos à espera de ver mais movimentos progressivos, como Alley-oops e Kerrupt Flips, mas talvez os 18 competidores que atuaram ontem estivessem a jogar “pelo seguro”. Bem, mas à falta destas manobras, que talvez estejam reservadas para os tops do ranking e para a noite de hoje, a verdade é que se viram algumas rotações aéreas e muito bom surf. 

 

É certo que a onda de Lemoore é previsível (as secções acontecem sempre no mesmo lugar), mas é de ter em atenção que é super exigente e se estende por várias centenas de metros e uns impressionantes 45 segundos de duração. Ao final de cada onda surfada, as perninhas dos nossos surfistas estão - literalmente - feitas em água. 

 

 

Os “haters” poderão sempre dizer que o espetáculo é mau e não cativa, que o surf deve ser no oceano, blá blá blá. No entanto, atualizem-se! Abram horizontes e adaptem-se. Pois a evolução do surf, tal como nos diz a história, também é feita de novas cedências, abertura de espírito e vontade de trilhar novo terreno. Agradecimento especial por isso ao visionário de serviço, o Sr. Kelly Slater, que em tempos imaginou e sonhou com um complexo e uma onda incrível como esta. 

 

Ontem, além de ter sido feita história, também vimos o que poderá ser o formato competitivo para a estreia do Surf nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. 

 

Quanto à competição em si, após as duas primeiras runs, é Kelly Slater que, sem grande surpresa, lidera a tabela. O 11x campeão mundial regressou à competição nesta etapa, num palco que conhece como a palma da mão, e não teve que suar muito para se destacar. Kelly tem uma direita fortíssima de 8.50 pontos e ainda tem a terceira run (que tem lugar no sábado) para melhorar a esquerda que neste momento se encontra em 6.07. 

 

- Ian Gouveia a explorar os ares. Foto: WSL/Cestari

 

Destaques também para Ian Gouveia, Tomas Hermes, Yago Dora, Joan Duru, Connor O’Leary, Matt Wilkinson e Jesse Mendes, que assinalaram notas acima dos 7 pontos. Porém, foi Sebastian Zietz quem se destacou ao conseguir a nota mais alta do dia - 8.67 pontos numa direita. Ainda assim o havaiano ocupa a nona posição uma vez que a melhor esquerda é de apenas 4 pontos. 

 

Em 12.º lugar surge Frederico Morais, com 12.33 pontos (6.13 + 6.10), que mostrou uma performance segura e consciente, praticamente sem erros e com as quatro ondas que surfou todas niveladas pela mesma escala de valores. O português vai entrar mais uma vez na água, na terceira run, mas agora já tem uma ideia do que é preciso para alcançar o top 8, precisamente os lugares que dão acesso à final. 

 

Top 8 Masculino:

1 - Kelly Slater (USA) 14.57

2 - Ian Gouveia (BRA) 14.33

3 - Tomas Hermes (BRA) 14.20

4 - Yago Dora (BRA) 13.80

5 - Joan Duru (FRA) 13.73 

6 - Patrick Gudauskas (USA) 13.70

7 - Connor O’Leary (AUS) 13.56

8 - Adriano De Souza (BRA) 13.56

 

Top 4 Feminino: 

1 - Coco Ho (HAW) 14.94

2 - Sage Erickson (USA) 14.07

3 - Courtney Conlogue (USA) 13.54

4 - Paige Hareb (NZL) 13.00

 

- Coco Ho em alta velocidade. Foto: WSL/Cestari

 

A prova continua hoje, por volta das 17h, com mais ação feminina e masculina. Aproveita para ver o horário da ordem de entradas no masculino: 

 

01. Conner Coffin – 20h34 e 20h58

02. Ezekiel Lau – 20h42 e 21h06

03. Kanoa Igarashi – 20h50 e 21h14

04. Adrian Buchan – 21h22 e 21h46

05. Michael Rodrigues – 21h30 e 21h54

06. Griffin Colapinto – 21h38 e 22h02

07. Jeremy Flores – 22h10 e 22h34

08. Mikey Wright – 22h18 e 22h42

09. Kolohe Andino – 22h26 e 22h50

10. Willian Cardoso – 24h04 e 24h28

11. Michel Bourez – 24h12 e 24h36

12. Jordy Smith  – 24h20 e 24h44

13. Owen Wright – 24h52 e 01h16

14. Wade Carmichael – 01h00 e 01h24

15. Italo Ferreira – 01h08 e 01h32

16. Julian Wilson – 01h40 e 02h04

17. Gabriel Medina – 01h48 e 02h12

18. Filipe Toledo – 01h56 e 02h20

 

Acompanha LIVE aqui

Perfil em destaque

Scroll To Top