segunda, 27 maio 2019 09:52

ESTARÃO AS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS A PROPORCIONAR UMA ERA DE OURO AOS BIG RIDERS?

As alterações climáticas têm aquecido os oceanos proporcionando aos big riders mundiais as melhores ondas grandes já vistas...

Mas com o fascínio de surfar ondas gigantes vem também a preocupação pelo impacto das alterações climáticas nos oceanos e no planeta.

Com os níveis do mar a subir, iremos assistir a uma alteração dos surf spots em diversas áreas do globo. Os big riders mundiais têm assistido a esta alteração em primeira mão. Atentos às previsões do mar em todo o globo, no intuito de perseguir as melhores e maiores ondas do mundo, as mudanças de padrões têm sido claras para os surfistas da elite mundial de ondas grandes.

Tal como temos vindo a assistir nos últimos anos, as tempestades são cada vez maiores e mais frequentes criando ondas cada vez maiores em muitos locais, tornando os dias de hoje uma era de ouro para os surfistas de ondas grandes.

 

Kerby Brown a surfar uma onda grande na Austrália Foto: Red Bull / MARK CLARK

 

Esta realidade cria um paradoxo para os surfistas. Grandes tempestades criam grandes ondas, mas têm paralelamente implicações nos oceanos tais como o branqueamento de recifes, deslocamento de correntes, mudanças de padrões de vento - o que faz com que uma onda em particular deixe de ser boa, entre muitas outras.

Os cientistas têm estudado o impacto das alterações climáticas nos oceanos, mas os dados existentes são de certa forma ainda limitados. Uma vez que o oceano é vasto e complexo as alterações não são iguais em todo em mundo. Enquanto alguns locais poderão assistir a um aumento do swell e brindar os surfistas com poderosas e enormes ondas, outros poderão ver ondas menores, particularmente os locais localizados em altas latitudes.  

 

A Nazaré tem sido palco de umasdas maiores ondas já surfadas Foto: brasiliadefato

 

Um estudo publicado em Janeiro deste ano por pesquisadores da Universidade da Califórnia mostra que a energia das ondas globais, que é o transporte da energia transferida do vento para o movimento da superfície do mar, registou um aumento de 0,4% ao ano desde 1948, o que indica que o aquecimento do oceano, consequência do aquecimento global antropogénico, está a tornar as ondas mais fortes.

Estas alterações, embora possam parecer trazer algo de bom para a comunidade de surfistas de ondas grandes, denotam uma realidade pouco feliz, tal como a lenda do surf, Laird Hamilton, reconhece.

"O oceano parece um pouco doente nos dias de hoje", disse Laird Hamilton. “Nós sabemos que há mudanças. Sabemos que está a afetar-nos. Sabemos que estas mudanças criam as maiores ondas que já tivemos, mas também podem criar períodos mais longos sem surf, fazer com que as ondas surjam de direções estranhas que não atingem os recifes da mesma forma. No geral, eu não acho bom - não é bom para a humanidade e não é bom para os surfistas. ”

Fica então a questão, será realmente esta uma era de ouro para os surfistas de ondas grandes? 

Perfil em destaque

Scroll To Top