banner topf
segunda, 04 novembro 2019 11:38

VAZAMENTO DE PETRÓLEO NO BRASIL PODE TER ORIGEM ABAIXO DA SUPERFÍCIE DO MAR

Segundo imagens de satélite...

Desde o o inicio de Setembro que um misterioso vazamento de petróleo tem atingido várias Praias do Nordeste do Brasil ameaçando algumas das mais belas praias do país.

No inicio de Outubro, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse numa declaração que o vazamento podia ter várias origens. “Pode ser algo criminoso, pode ser um vazamento acidental, pode ser um navio que naufragou também. Temos no radar um país que pode ser o da origem do petróleo”, referindo-se à Venezuela.

Mas Humberto Barbosa, um pesquisador do Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis), afirma agora que as manchas de petróleo que atingem o litoral do nordeste brasileiro podem ter origem num grande vazamento abaixo da superfície do mar.

Segundo o site do laboratório, este detectou na passada segunda-feira, dia 28 de Outubro, a partir de satélites, um padrão característico de manchas de petróleo no oceano que poderia explicar a origem da poluição no Litoral do Nordeste.

 

Imagem de satélite mostra mancha de petróleo, a 54 km da costa da Bahia. Fonte: Lapis.

 

 

“Após três semanas de processamento de imagens do satélite Sentinel-1A, o pesquisador Humberto Barbosa, do Lapis, identificou um enorme vazamento de óleo, em formato meia lua, com 55 km de extensão e 6 km de largura, a uma distância de 54 km da Costa do Nordeste.O local fica no Sul da Bahia, nas proximidades dos municípios de Itamaraju e Prado.”, diz o site do Lapis.

Segundo o laboratório,o pesquisador afirma que, pela localização do petróleo, pode ser algo muito maior do que um mero derramamento acidental ou propositado de petróleo, a partir de um navio, podendo talvez ser um vazamento que está abaixo da superfície do mar, consequência de perfuração.

"É como a montagem de um quebra-cabeça, com peças muito dispersas, que são as manchas muito espalhadas pelas correntezas no Litoral do Nordeste do Brasil, principalmente nas faixas costeiras. De repente, você encontra uma peça-chave, mais lógica, foi o que ocorreu ontem ao encontrar essa imagem. Foi a primeira vez que observámos, para esse caso, uma imagem de satélite que detectou uma faixa da mancha de petróleo original, ainda não fragmentada e ainda não carregada pelas correntezas", disse o pesquisador.

No entanto, a Marinha afirma que a referida mancha visualizada em imagens de satélite não é petróleo e a Petrobras, empresa de petróleo brasileira, afirmou que biomarcadores das amostras de petróleo recolhidas nas praias do nordeste não possuem características compatíveis com os petróleos provenientes de reservas do pré-sal, uma área de reservas petrolíferas que fica debaixo de uma profunda camada de sal, compreendendo, no Brasil, uma faixa que se estende ao longo de 800 quilómetros. 


Perfil em destaque

Scroll To Top