sexta-feira, 27 março 2020 15:52

TRANSMISSÃO DE COVID-19 ATRAVÉS DE ÁGUA SALGADA É ABORDADA EM ESTUDOS

Partilhados pela Surfrider Foundation...

 

 

A Surfrider Foundation partilhou recentemente informações sobre o Covid-19 e a qualidade da águas nas praias. As informações respondem a algumas questões de interesse a surfistas em todo o mundo e foram dadas pela Water Research Foundation num webinar que contou com vários especialistas em doenças infecciosas.

A transmissão desta infecção viral contagiosa, que causa doença respiratória leve na maioria das pessoas, ocorre através do contacto com gotículas respiratórias que contêm o vírus, produzidas quando um indivíduo infeccioso tosse ou espirra. Aproximadamente 80% dos casos são leves e 20% requerem hospitalização. Felizmente, o vírus é envolvido, o que significa que é altamente suscetível à cloração. Portanto, o cloro e a lixívia são eficazes na desinfecção de superfícies e fontes de água contaminadas.

Quando questionados sobre se o vírus se espalha por vias navegáveis recreativas, os especialistas dizem que estudos demonstram que o vírus permanece viável e infeccioso, pelo menos temporariamente, em ambientes naturais de água doce, incluindo lagos.

 

FOTO: Apple Design

 

Embora se suspeite que a diluição mantenha o risco baixo, altas concentrações do vírus COVID-19 viável podem colocar em risco os usuários das atividades de recreação em água doce. Não havia informações compartilhadas sobre a capacidade do vírus COVID-19 permanecer viável na água salgada; portanto, não está claro se nadar em praias de água salgada aumenta o risco de contrair COVID-19. No entanto, a disseminação comunitária é um problema sério, portanto, passar o tempo em praias populares, se em contacto próximo com outros banhistas, aumentará o  risco.

Outra questão pertinente é como o vírus poderá entrar em cursos de água recreativos.

Neste momento, ainda não se sabe se as pessoas podem contrair o vírus COVID-19 através da exposição a fezes provenientes de esgotos em águas recreativas, mas o consenso geral é de que isso pode ser possível. Assim, os pesquisadores recomendam que se verifique a qualidade da água da praia antes de ir para a praia. Mesmo que seja determinado que fazer uma atividade recreativa em cursos de água poluídos por esgoto não seja uma rota de transmissão para o COVID-19, ainda assim poderá expor os praticantes a outros patogénicos  que podem sobrecarregar o sistema imunitário.

Face a esta situação crítica que vivemos, todos nós temos um papel muito importante a desempenhar de forma a protegermo-nos e protegermos os outros.

 

FOTO: Unsplash

 

Estas são algumas das ações que fazem a diferença e que devemos implementar:

- Lavar frequentemente as mãos por, pelo menos, 20 segundos;

- Se não houver água e sabão, usar pelo menos 60% de desinfetante para as mãos à base de álcool;

- Não tocar no rosto (especialmente olhos, nariz ou boca) se as mãos não estiverem lavadas;

- Limpar as superfícies frequentemente tocadas com produtos de limpeza doméstica e desinfetantes que contenham concentrações adequadas de lixívia ou que sejam no mínimo 70% à base de álcool. Poderá fazer-se um desinfetante para limpeza de superfície, misturando 4 colheres de chá de lixívia por 1 litro de água.

-Ficar em casa;

-Praticar o distanciamento social.

 

FOTO: Washington Post

Perfil em destaque

Scroll To Top