Itens relacionados

terça-feira, 20 outubro 2020 11:12

COVID 19 FAZ DISPARAR O MERCADO DO SURF E SKATE MUNDIAL

Prosperidade atingiu o mercado do Surf numa altura que todos achariam menos provável...

A atual pandemia de covid tem tido um forte impacto económico a nível mundial. Enquanto vários sectores, como a indústria hoteleira e a restauração, lutam por sobreviver à crise, outros têm vindo a prosperar, como é o caso da indústria do skate e do surf, segundo dados da ActionWatch.

A ActionWatch, um projeto revolucionário que trabalha com lojas especializadas, marcas e parceiros nas indústrias de surf e skate para compartilhar insights detalhados e dados sobre padrões de compra nos Estados Unidos e na Austrália, refere que este novo aumento da procura de pranchas de surf, e de skates em particular, levou os vendedores a assistirem a um crescimento de dois dígitos nos últimos três meses consecutivos, segundo um artigo da Australian Surf Business Magazine.

Em países como a Austrália, em que no estado de Vitória a prática de grande parte dos desportos foi proibida durante o confinamento, o surf e o skate foram uma excepção e considerado um exercício essencial, o que levou a um aumento da procura de pranchas de surf e skates por pessoas de todas as faixas etárias.

Era de esperar que o ano de 2020 em que o skate e o surf deveriam fazer a sua estreia olímpica levasse a um maior reconhecimento e procura por ambas as modalidades, mas curiosamente não foram os Jogos Olímpicos que levaram a tal cenário mas sim a temida pandemia global de covid-19.

 

 

Vários foram os surfistas que correram à praia para a reabertura de Bondi Beach, Sydney, em Abril. Foto: AP

 

 

No caso do skate, o facto de ser uma modalidade realizada ao ar livre e que requer um investimento financeiro relativamente baixo tem-se mostrado ser um fator que a torna apelativa, o que tem levado ao crescimento da procura de skates.

O lifestyle de surf-skate feminino também tem vindo a crescer e a Globe tem vindo a acompanhar este crescimento com a criação da linha Impala.  Segundo Matt Hill, CEO da Globe, a marca é a primeira a apresentar exclusivamente artistas femininas para fornecer o conteúdo gráfico, em oposição aos designers masculinos que fazem o que consideram "feminino".

Na Austrália, esta súbita procura por surfskates e pranchas de surf levou muitas lojas a ficar sem stock e tempo para se adaptar.

No entanto, a Globe é uma das marcas que melhor conseguiu adaptar-se às exigências e evolução do mercado devido à longa relação que tem com a sua fábrica na China, sendo a marca mais confiável e consistente no sector.

 

 

 

 

Se este súbito crescimento e procura se irão manter é algo que teremos de esperar para ver, mas numa altura em que tantas pessoas sentem que a sua liberdade lhes foi tirada devido ao vírus, o skate e o surf trazem uma lufada de ar fresco e uma sensação de liberdade que tornam este estilo de vida cada vez mais apelativo.

 

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top