Foto: Mitxel Andreu. Foto: Mitxel Andreu.

Itens relacionados

quarta-feira, 03 fevereiro 2021 11:11

Federação Espanhola de surf insurge-se contra difamadores do Illa Pancha Challenge

A competição foi fortemente criticada...

 

Na passada segunda-feira teve lugar em Ribadeo (Lugo) a segunda edição do Illa Pancha Challenge, um evento especial de tow in da Federação Espanhola de Surf.

O evento de ondas grandes, que contou com o português António Laureano e outros grandes nomes do surf de ondas grandes, como Eric Rebiere,  Michelle des Bouillons, Ian Conzensa, Andrew Cotton, Ian e Lucas Chumbo (os defensores do título), entre outros, gerou polémica por ter sido realizado durante a situação pandémica que se atravessa.

O prefeito de Ribadeo, Fernando Suárez, denunciou na segunda-feira que o conselho não havia recebido o pedido de autorização para a realização do evento, referindo ainda que não o havia concedido devido à conhecida situação de saúde existente.

“A Câmara não recebeu qualquer comunicação formal ou pedido de autorização para a sua realização. As competências municipais estariam relacionadas com a reserva de lugares de estacionamento ou com o controlo da circulação de veículos nas estradas municipais. O que não poderia ser autorizado em qualquer caso, dadas as restrições decretadas para fazer frente ao covid-19 ". disse o prefeito, Fernando Suárez

“As competições ou provas desportivas no mar não são competência municipal, pelo que tão pouco podiam ter sido autorizadas no caso de terem sido apresentadas"- continuou Fernando Suárez.

A Acisa, associação empresarial Ribadense, também criticou o evento, qualificando a realização do mesmo como "injusta e imoral " quando o setor hoteleiro é fechado, o comércio tem prazo, os ginásios estão fechados e as pessoas não podem circular livremente."

A associação salientou que não tem nada contra o evento, mas que a sua realização em tempos de pandemia é “negligente”.

Segundo a organização do evento, a cargo da empresa After Surf, foi feita uma comunicação ao concelho que teria informado que não poderia colaborar.

′′Ao celebrar-se na água e sem público, disseram-nos que não precisávamos de mais permissões, e temos o certificado oficial do campeonato."- disse a organização, que garante que todos os atletas foram submetidos a testes de detecção de covid-19.

 

Frente às fortes críticas, a organização fez um comunicado na sua página de facebook onde declara que o evento cumpriu todas as rigorosas medidas sanitárias exigidas e que informou todas as administrações por telefone, recebendo a aprovação.

“Não queríamos causar nenhum tipo de dano, muito pelo contrário, este tipo de eventos são os que fazem com que nesta época tão escura e cinzenta, tudo tenha uma luz.”

Uma nota adicional da Federação Espanhola de Surf diz ainda que “serão decididas as medidas legais tomadas contra aqueles que estão a difamar este grande evento.”

 

Perfil em destaque

Scroll To Top