Itens relacionados

sexta-feira, 16 abril 2021 10:40

O que os atletas podem e não podem fazer durante as Olimpíadas de Tóquio

Segundo o manual do Comité Olímpico Internacional...

 

Os Jogos Olímpicos de Tóquio, que terão lugar no Japão este verão, são um dos acontecimentos desportivos mais esperados do ano.

Após terem sido adiados um ano devido à pandemia de covid-19, a expectativa de ver o surf fazer a sua estreia olímpica é grande.

Os casos de covid no Japão continuam a aumentar. Osaka teve um número recorde de casos este mês, enquanto a capital registrou 729 casos na quinta-feira, o nível mais alto em mais de dois meses. No entanto, este cenário parece não interferir com a realização das olimpíadas, segundo o Comité Olímpico Internacional (COI).

“Estamos totalmente concentrados e comprometidos com a entrega bem-sucedida dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 neste ano, e a trabalhar a todo vapor para a cerimónia de abertura em 23 de julho”, disse um porta-voz do COI.

Os Jogos Olímpicos irão ser realizados de 23 de Julho a 8 de Agosto e serão um momento histórico para o surf mundial que verá a modalidade fazer a sua estreia olímpica, mas espectadores estrangeiros já foram excluídos do evento e os oficiais indicaram que os locais podem operar com metade da capacidade.

O Comité Olímpico Internacional (COI) já lançou o manual onde elucida os atletas e suas equipes das regras a cumprir durante as olimpíadas.

Segundo o manual, atletas, oficiais da federação, equipe de apoio e mídia que viajam para Tóquio, terão que monitorizar e relatar atualizações de saúde num aplicativo por duas semanas antes de partirem, fazer um teste  covid-19  72 horas antes da partida e restringir a sua lista de contatos próximos, incluindo treinadores e companheiros de equipe.

Estas são as únicas pessoas com quem eles devem interagir enquanto estiverem no Japão.

Os atletas também terão que finalizar um roteiro de “atividades planeadas” que se restrinja aos locais oficiais dos Jogos e suas acomodações.

 

Entre várias regras estas são algumas que os atletas terão que cumprir, entre elas:

- Não visitar ginásios, áreas turísticas, lojas,restaurantes ou bares, etc;

- Não usar transportes públicos a menos que tenham permissão;

- Evitar gritar, torcer e cantar - devem encontrar outras maneiras de mostrar apoio ou comemorar durante a competição, como bater palmas;

- Durante a sua estadia no Japão, espera-se que limitem as suas atividades ao necessário para cumprir a sua função.

 

 

 

 

 

Isso significa que os atletas e as suas equipes não poderão festejar com a comunidade local como acontecia nas edições anteriores.

O manual refere ainda que os atletas e suas equipes não precisam de ter recebido uma vacina para participar dos Jogos e que todas as regras descritas no manual serão aplicáveis, independentemente de terem recebido ou não a vacina.

O COI alerta ainda que haverá consequências para quem não respeitar as regras.

 “O desrespeito das regras contidas neste Manual pode expô-lo a consequências que podem ter um impacto sobre a sua participação nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, o seu acesso aos locais de jogos e, em alguns casos, a sua participação em competições. Falhas repetidas ou graves no cumprimento destas regras pode resultar na retirada da sua credencial e direito de participar das Olimpíadas e Jogos Paraolímpicos.”

 

O surfista português Frederico Morais é um dos atletas que irá representar a bandeira portuguesa nos Jogos Olímpicos de Tóquio, altura em que deixará o seu nome na história ao ser um dos 40 surfistas a competir na estreia olímpica do surf na praia de Tsurigasaki, em Chiba.

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top