segunda-feira, 10 maio 2021 05:17

Tatiana W. Web e Filipe Toledo vencem o Margaret River Pro 2021

Filipe Toledo de volta às vitórias e aos lugares cimeiros do ranking...

 

Ondas de classe mundial e Surf de Rail no ultimo dia do Boost Mobile Pro 2021 viram dois Brasileiros selarem duas sólidas vitórias no evento de elite feminino e masculino da World Surf League.

 

Filipe Toledo (BRA) e Tatiana Weston-Webb (BRA) conquistaram a vitória no Boost Mobile Margaret River Pro presented by Corona, a quarta etapa do Championship Tour (CT) 2021 num grande dia de ação com o Main Break a oferecer ondas de 2 a 2,5 metros.

Tatiana Weston-Webb conquistou a sua segunda vitória num evento CT na sua carreira, após vencer a sete vezes campeã mundial Stephanie Gilmore (AUS) na final. A surfista de 25 anos fez um excelente total combinado de 16,23 (de 20 pontos possíveis) contra os 15,00 de Gilmore para conquistar a vitória no Main Break em Margaret River.

 

 

Tatiana Weston-Webb Foto:WSL /Miers

 

 

“Não consigo explicar como isto é incrível”, disse Weston-Webb. “A Steph é uma das melhores surfistas de todos os tempos e sempre foi alguém que admiro tanto, por isso foi incrível enfrentá-la numa final. Estou muito grata por ter vencido depois de terminar em segundo lugar no último evento. ”

 

A caminho da sua vitória na final, Weston-Webb eliminou a surfista local Bronte Macaulay (AUS), que surfou após o recente falecimento do seu irmão, Jack, nas semifinais.

“Quero dizer que esta vitória é para a família Macaulay”, continuou Weston-Webb. “Eu enfrentei Bronte hoje cedo e vê-la aparecer no seu heat foi muito corajoso. Eu não posso imaginar o que ela está a passar. Eles são uma família incrível com muito amor e são uma grande parte do surf aqui no Oeste. As minhas condolências para eles. ”

 

Após a vitória de hoje, Weston-Webb garantiu o melhor início de uma temporada no CT e agora salta para o segundo lugar no ranking mundial feminino. Com o novo formato da Rip Curl WSL Finals, Weston-Webb colocou-se numa posição forte para ter uma oportunidade de vencer o título mundial de 2021.

 

 

Filipe Toledo Foto:WSL /Dunbar

 

 

Filipe Toledo esteve em grande forma no dia das finais, ganhando ímpeto em cada heat que surfou guardando a sua melhor performance para o final, conquistando uma combinação de duas ondas de 17,33 (em 20 pontos possíveis), uma das pontuações mais altas do evento.

Jordy Smith começou por dominar a final com uma primeira onda de 8 pontos, mas a partir do minuto 20 foi Filipe Toledo que deu show com o seu incrível surf de rail .

O surfista brasileiro ocupa agora o terceiro lugar no ranking, enquanto o seu conterrâneo Gabriel Medina segue na liderança seguido do campeão mundial Ítalo Ferreira em segundo lugar.

 

 

Filipe Toledo Foto:WSL /Dunbar

 

 

“Esta foi uma semana muito divertida”, disse Toledo. “Tem havido ondas incríveis e um surf incrível de todos, então sair vencedor é muito bom. Esta vitória é para o meu filho Koa, hoje é o seu aniversário e ele pediu-me para ganhar o troféu. Eu prometi-lhe que o faria e não poderia quebrar a promessa, então esta é para ti filho, eu amo-te. Esta vitória é um grande salto no ranking para mim, que eu precisava. Este Tour tem tudo a ver com consistência e se não apareces nas Finais com frequência, não chegarás aos 5 finais, e esse é o meu maior objetivo, dar a mim mesmo essa oportunidade. ”

 

Jordy Smith (ZAF) conseguiu chegar às finais em Margaret River com uma série de pequenas margens que o separaram dos seus oponentes. Foi só na semifinal que ele mostrou a todos que tinha uma sólida possibilidade de vencer no Main Break, uma onda que sempre se adequou ao seu estilo de surf. Na final, Smith não conseguiu encontrar uma resposta para as pontuações massivas de Toledo, mas o sul-africano ainda estava feliz por estar de volta numa final pela primeira vez na perna australiana de 2021.

 

 

Jordy Smith Foto:WSL /Dunbar

 

 

“Que semana”, disse Jordy Smith. “Eu gosto sempre de vir para a Austrália Ocidental porque oferece ondas como as que tivemos aqui durante todo o evento. Eu diverti-me hoje e estava feliz por chegar a uma final pela primeira vez em sabe-se lá quanto tempo. A seguir só preciso ganhar. Estou muito animado para tentar manter o ímpeto e ir para a Ilha Rottnest e, com sorte, ter um melhor resultado lá. ”

 

A sete vezes campeã mundial, Stephanie Gilmore (AUS), obteve o seu melhor resultado da temporada e a sua melhor colocação em Margaret River, terminando como vice-campeã no Main Break.

Na sua 47ª aparição numa final, Gilmore procurava conquistar a sua 32ª vitória no CT, mas não era para ser e Weston-Webb roubou-lhe a vitória com uma das suas maiores performances superando a surfista australiana. Gilmore segue agora para o Rip Curl Rottnest Search ocupando o terceiro lugar no ranking mundial, enquanto busca a sua primeira vitória desde 2019.

 

 

Stephanie Gilmore Foto:WSL/Dunbar

 

 

“No início, deixei a Tatiana apanhar aquela onda boa quando eu tinha prioridade e ela fez um 8.50”, disse Gilmore. "Isso confundiu-me desde o início, mas mantive a certeza de que conseguiria. Sei que posso conseguir um 9.50 aqui, mas a Tatiana é uma competidora difícil e uma surfista incrível, por isso estou realmente feliz por eu ter chegado à final aqui.”

 

A primeira semifinal feminina viu Bronte Macaulay (AUS) remar com grande apoio do mundo do surf e da comunidade local. Macaulay demonstrou um incrível comprometimento e coragem ao longo do seu heat, conquistando a maior pontuação numa única onda única no heat, mas não conseguiu encontrar uma onda de backup. Weston-Webb venceu avançando para a final, enquanto Macaulay obteve o seu melhor resultado em Margaret River e o melhor resultado da sua carreira, ganhando enorme admiração dos seus colegas competidores e fãs de surf ao redor do mundo.

  

 

Bronte Macaulay Foto:WSL/Miers

 

 

Carissa Moore (HAW) parecia certa de que iria progredir para a sua terceira final da temporada, enquanto avançava no evento conquistando bons totais combinados nos seus heats em todas as rondas, exceto nas semifinais, onde foi derrotada por Stephanie Gilmore. Semelhante a Carissa Moore, o atual campeão mundial masculino Ítalo Ferreira (BRA) não conseguiu passar o seu heat nos quartos-de-final contra o seu compatriota Filipe Toledo. Apesar de terminar em quinto lugar, Ferreira continua na segunda posição do ranking masculino.

 

Os competidores irão agora mudar o seu foco para o quinto evento do Tour, o Rip Curl Rottnest Search apresentado pela Corona, que tem uma janela de espera de 16 a 26 de maio. 

 

 

 

 

 

 

Itens relacionados

Scroll To Top