Vasco Ribeiro Vasco Ribeiro WSL / Morris
sábado, 25 setembro 2021 11:18

Condições de mar pouco favoráveis "fazem cair" Vasco Ribeiro no US Open of Surfing

Terminou ontem a jornada dos portugueses em Huntington Beach.

Olhando apenas para os scores do heat de Vasco Ribeiro, Mihamana Braye e Jake Marshall, conseguimos adivinhar que as condições do mar não permitiram aos surfistas as melhores performances. Analisando o que de facto se passou nesses 30 minutos, conseguimos confirmar esse facto.

As ondas eram escassas e de pouco tamanho – o heat anterior, aliás, teve que ser recomeçado, pois nenhuma onda foi surfada nos primeiros dez minutos. No heat de Vasco o cenário poderia ter sido o mesmo, se Mihamana Braye não tivesse conseguido uma onda pouco antes da marca dos vinte minutos. Essa onda valeu-lhe um 5.17, e a partir daí, o surfista taitiano favoreceu o inside, o que lhe permitiu apanhar seis ondas, ainda que nenhuma tenha sido brilhante – a sua nota mais alta foi um 5.67.

Enquanto isso, Vasco Ribeiro e Jake Marshall esperaram no outside por uma onda de mais tamanho na qual se pudessem destacar. Vasco apanhou a sua primeira onda por volta dos dez minutos do fim, um 4.60, que o colocou brevemente em segundo lugar. O americano Jake Marshall fez apenas um 4.10 e um 2.77, mas a segunda onda de que Vasco precisava para passar acabou por nunca vir, deixando o surfista português em terceiro. A vitória de Mihamana Braye deveu-se claramente a uma decisão estratégica de favorecer inside e garantir que conseguia apanhar ondas numa altura do dia em que as condições estavam contra os atletas. Entre Jake e Vasco, contudo, a diferença entre o segundo e o terceiro lugar foi apenas uma questão de sorte.

Até à data do campeonato, Vasco Ribeiro estava em 18º lugar no ranking. Com esta etapa, que terminou em 17º lugar, o surfista acrescenta 2000 pontos à sua situação, além de um prize money de 2000 dólares.

 

 

Surfistas masculinos e femininos rumo ao Challenger Series na Ericeira :

Agora, os surfistas portugueses regressam ao nosso país, onde a partir de 2 de Outubro começa a segunda etapa deste circuito. A Ericeira recebe a segunda de quatro etapas do circuito Challenger Series, com Frederico Morais a juntar-se a este quarteto. A armada lusa poderá ainda receber mais elementos, em virtude dos wildcards disponíveis.

De Portugal o circuito segue para a França, ainda em Outubro, e entre o final de Novembro e início de Dezembro tudo se vai decidir na etapa final, marcada para Haleiwa, no Havai. Em jogo estão 12 vagas para o circuito mundial masculino e seis para o feminino.

 

Consulta os heats aqui e acompanha o livestream aqui.

 

Itens relacionados

Perfil em destaque

Scroll To Top