Caroline Marks é a wildcard da segunda metade do CT 2022. Yago Dora e Sally Fitzgibbons recebem wildcards para 2023 terça-feira, 10 maio 2022 07:44

Caroline Marks é a wildcard da segunda metade do CT 2022. Yago Dora e Sally Fitzgibbons recebem wildcards para 2023

 Dora e Fitzgibbons são os primeiros na lista para substituir quaisquer faltas no CT 2022.

 

 

 

Passadas as primeiras cinco etapas do CT 2022, o número de atletas no CT passou a metade com o cut. Apenas os primeiros 22 homens e as primeiras 10 mulheres  do ranking seguem para a segunda metade do ano, e a eles juntam-se mais dois wildcards masculinos e dois femininos. A WSL já tinha anunciado o tão esperado retorno de Gabriel Medina, e anunciou agora que Caroline Marks, que se retirou das provas este ano por razões de saúde, junta-se a ele como wildcard feminina. Marks e Medina competirão nas cinco restantes etapas do ano, podendo lutar por um lugar na finalíssima, onde só os cinco primeiros lugares competem. Os dois também têm lugar garantido na primeira metade do CT 2023.

 

 

Yago Dora e Sally Fitzgibbons são os wildcards para 2023

 

Sally Fitzgibbons, competidora de longa data e uma das Top 5 na Final de Trestles no ano passado, ficou em 15º lugar no ranking este ano após a etapa de Margaret River, fora do cut. Recebe contudo o wildcard para 2023, e tem o seu nome garantido para a primeira parte da próxima temporada. Do outro lado, Yago Dora, recuperado da sua lesão, recebe o wildcard masculino também para 2023. Além disso, os dois são os primeiros na fila para substituir quaisquer faltas nas próximas cinco etapas de 2022. 

 

Estes wildcards são escolhidos pela equipa dos circuitos e competições da WSL mediante as inscrições dos atletas, e levam em conta a performance competitiva, como títulos mundiais, rankings do Challenger Series e do CT, resultados em eventos, bem como uma avaliação médica quando aplicável. 

 

 

 

Scroll To Top