Caio Ibelli Caio Ibelli Thiago Diz/WSL sexta-feira, 24 junho 2022 16:29

Caio Ibelli arranca o primeiro 10 do evento e da sua carreira no segundo dia do Oi Rio Pro

Num dia em que convidados agitaram as emoções

 

A praia de Itaúna, em Saquarema, teve ação pelo segundo dia consecutivo. A chamada foi feita para os atletas, tanto homens como mulheres, que tinham caído para o segundo round, das repescagens, do Oi Rio Pro a oitava etapa do Championship Tour. O dia ficou marcado pela agito das emoções causado pelos wildcards e substitutos, tal como é o caso de Miguel Tudela, que eliminou Griffin Colapinto, o vencedor da última etapa no último minuto.

 

Ronda 1 das eliminatórias femininas: Carissa Moore X Sol Aguirre

A ronda eliminatória feminina foi a primeira a entrar na água com o heat da atual líder do ranking mundial, Carissa Moore, frente à wildcard Sol Aguirre. Carissa viu a bateria seguir um rumo que não lhe agradava quando a peruana com um 3.50 pontos e outra nota de 4.83 pontos assumia a liderança. Com duas notas na casa dos 3 pontos, Moore precisava de 4.41 para avançar e virar o heat a seu favor. O cronometro contava 12 minutos para o final e foi sem a prioridade que Carissa Moore, escalou o lip e com somente uma manobra conquistou um 4.57 pontos e subiu para primeiro. Aguirre não conseguiu defender a liderança e despediu-se do Oi Rio Pro com uma diferença de 0.17 pontos, tendo causado suor à atual campeã mundial.

 

 

Ronda 2 das eliminatórias femininas: Isabella Nichols X Stephanie Gilmore

O heat que se seguiu foi caracterizado pela instabilidade do primeiro posto. A disputa acirrada entre a novata Isabella Nichols e a veterana Stephanie Gilmore, não deixava nenhuma das duas aquecer a liderança. Nichols fez de backup o 4.83 pontos, até então a melhor nota que tinha, após agarrar um 6.33 pontos. Gilmore precisava de 5.34 para se manter em prova mas a escassos minutos do final conseguiu somente um 4.87 pontos, o que lhe reduziu a distância da adversária mas não foi suficiente para fazer com que Isabella Nichols não levasse a melhor e a derrotasse.

 

 

Ronda 3 das eliminatórias femininas: Johanne Defay X Courtney Conlogue

Na batalha entre Johanne Defay e Courtney Conlogue, a francesa apanhou menos ondas mas com mais potencial. Embora tenha sido Conlogue a abrir o heat com um 3.67 pontos não deixou intimidada a adversária que lhe respondeu com uma moeda acima, de 4.67 pontos. Courtney mantinha uma postura ativa mas apesar do seu surf feroz, não conseguiu fazer frente ao score final de Defay de 8.90 pontos, que entretanto tinha completado outra onda de 4.23, ficando-se pelo caminho a precisar de uma onda avaliada em pelo menos 5.23 pontos.

 

 

Ronda 4 das eliminatórias femininas: Lakey Peterson x Brisa Hennessy

No último heat das repescagens femininas, Lakey Peterson deixou desde cedo Brisa Hennessy entre a espada e a parede. Mais vincado ficou este cenário quando Peterson rasgou com força e espremeu a onda a toda a velocidade alcançando a melhor nota do dia entre as mulheres, um 7 pontos. Hennessy, que está a ter o melhor ano da sua carreira, não conseguiu desenvencilhar-se já que na conta tinha duas tímidas notas na casa dos 2 pontos (2.87 + 2.93). Lakey Peterson fez ainda o cheque-mate com a sua onda final de 4.33 pontos.

 

 

Ronda 1 das eliminatórias masculinas: Miguel Tudela X Griffin Colapinto

Finda a segunda ronda feminina, o espetáculo passou para as mãos dos homens, também com as eliminatórias. Griffin Colapinto encontrou-se com o substituto de Seth Moniz, o peruano Miguel Tudela. Griffin confiante, após sair vitorioso da última etapa em El Salvador, entubou, manobrou e conquistou com a primeira onda, alcançando um 7.50 pontos. Mas a resposta do adversário veio na onda seguinte com um aéreo que deixou as emoções ao rubro e valeu-lhe 7.10 pontos. A 4 minutos do fim, ambos empatavam as pontuações com 12.60 pontos de somatório final. Mas, embora Tudela tivesse um 5.50 superior ao 5.10 de Griffin, o norte-americano acenava-lhe com um 7.50 pontos, mais elevado do que o 7.10 do peruano, pelo que se mantinha na liderança. No entanto, Miguel Tudela não se deixou vencer e foi novamente com um aéreo que deixou o espectadores e os juízes de queixo caído, não tendo alternativa senão darem-lhe o um 7.10 pontos.

 

 

Ronda 2 das eliminatórias masculinas: Caio Ibelli X Jadson André

Na batalha entre Caio Ibelli e Jadson André, aquilo que numa primeira impressão parecia um heat normal com pontuações pouco avultadas, comparadas com a bateria anterior, teve o ponto de viragem e tornou-se num heat de destaque quando Ibelli, que precisava de um 4.41 para roubar a liderança de Jadson André, entrou num tubo que dava a sensação de ser interminável a 3 minutos do final e saiu dele com 10 pontos na mão, uma decisão unânime por todos os juízes. Foi a primeira nota de 10 pontos do evento e da sua carreira. Em entrevista no pós-heat, Caio comentou que já estava a aceitar que a onda que precisava não ia vir e que ia perder, mas surpreendeu-se.

 

 

Ronda 3 das eliminatórias masculinas: Mateus Herdy X Kanoa Igarashi

Em casa e com rampas para voar, deixava Mateus Herdy com as armas certas para acertar em cheio na vitória. As ondas iniciais, tanto do brasileiro como de Igarashi, cariciam de finalização e não ofereciam o expectável. Só à oitava onda, Herdy conseguiu soltar um aéreo que lhe valeu um 7.17 pontos. Mas como se um não bastasse, na onda que se seguiu completou dois, entrando para o somatório um 8.83 pontos. Igarashi não ficou de braços cruzado a assistir ao espetáculo e aprontou-se a entrar num tubo, pouco comprido mas onde se encaixou inteiramente lá dentro. Ao 3.67 pontos que já tinha, com essa onda juntou-lhe outros 6.33 pontos. Na segunda onda manobrou com a fluídez que lhe é característica mas não conseguiu o 9.67 que tinha em falta. O substituto de Barron Mamiya, Mateus Herdy, avançou assim para os quartos-de-final com 16 pontos face aos 12.90 pontos de Igarashi, o 5º colocado no ranking.

 

Perfil em destaque

Scroll To Top