O programa de vistos de Portugal pode ter impactos de longo alcance nos surfistas locais. O programa de vistos de Portugal pode ter impactos de longo alcance nos surfistas locais. bestsurfdestinations quarta-feira, 02 novembro 2022 10:17

Jovens Portugueses afectados pelo novo Visto para os nómadas digitais em Portugal

Governo português facilita a permanência dos imigrantes no país....

 

Mudar para fora da União Europeia foi sempre mais difícil devido às restrições do visto, no entanto, o governo português anunciou, recentemente, um novo visto que permite aos nómadas digitais permanecerem, por determinado período de tempo, no país. 

“Portugal tem um clima ótimo, ondas incríveis, internet rápida e todos falam inglês”, disse Steve Howse ao site The Inertia. Steve, londrino e bodyboarder recém-formado, mudou-se para Lisboa durante a Covid-19 e nunca mais saiu. 

 

No entanto, esta novidade provocou uma forte reação dos surfistas locais. A falta de infra-estruturas, acessibilidade e de estadia é o cenário que preocupa bastante os surfistas.

 

 

 

 

“Sou português e isto é para lá de ofensivo! O salário mínimo é 705€. Um lugar como um estúdio, com condições básicas, custa, pelo menos 600€/650€. O governo ignorou construções importantes como escolas, hospitais e casas, para construir mais e mais hotéis, albergues e apartamentos. Sinto que mal sobrevivo no meu próprio país, mas quando se trata de estrangeiros, o governo oferece dinheiro para morarem aqui", afirmou um local.

 

 

Este visto é dividido em duas categorias: trabalhadores remotos que pretendem uma estadia temporária de até um ano e nómadas digitais à procura de visto de residência em Portugal.

A autorização de residência destina-se a trabalhadores por conta de outrem ou por conta própria e visa regular a permanência temporária de trabalhadores remotos. Os pedidos de visto estão a ser aceites desde 30 de outubro de 2022.

Para ter direito a qualquer um dos vistos, os trabalhadores remotos precisam comprovar uma renda mensal que é quatro vezes o salário mínimo em Portugal, que neste momento é de 705€, ou seja, um trabalhador remoto precisa de ganhar 2820€ por mês e apresentar um contrato de trabalho ou uma prova como trabalha por conta própria.

 
“O "nómadismo" digital é uma tendência que tem vindo a ganhar força desde 2020, com a pandemia da COVID-19. O trabalho remoto tornou-se uma realidade para muitos. Este visto veio simplificar os procedimentos para os cidadãos de outros países que queiram vir para Portugal e o país vai beneficiar com a captação de um novo mercado de trabalho e mais recursos humanos”, explicou Patricia Casaburi, diretora-geral da Global Citizen Solutions, empresa de migração de investimento com forte ligações em Portugal.

 

A Nomad List, uma base de dados crowdsourced de milhares de cidades que agregam as suas características mais importantes, classificou recentemente Lisboa em primeiro lugar entre as melhores cidades do mundo para os nómadas digitais.

Na Ericeira, tal como em Lisboa, abriram-se recentemente vários grandes espaços de co-working e co-living.

 

 

Scroll To Top