"Não quero forçar ou surfar pelos motivos errados." OSCAR LANGBURNE-

Um exclusivo Surftotal - A visão do surf e da vida do irreverente surfista australiano...

 

Oscar Langburne não é um surfista comum. O Jovem free surfer australiano, que está prestes a celebrar 18 anos de idade, tem um estilo único e uma naturalidade a surfar qualquer onda de uma forma singular.

A sua abordagem ao surf e à vida transpiram uma sensação de liberdade e despretensiosismo que o distinguem dos surfistas da sua geração.

Oscar  faz-nos recordar a razão pela qual fazemos surf, pelo puro prazer de deslizar nas ondas, sem nada a provar e com um sentimento de alegria que não encontramos em mais nenhum lugar.

 

 

 

 

 

 

Quando e como surgiu a tua paixão pelo surf?

Como a maioria das crianças, eu ia à praia quando era jovem e comecei a surfar numa softboard grande e larga. Era empurrado nas ondas e simplesmente ia em frente.

 

 

"Às vezes, se toda a gente é agressiva e está a tentar provar o quão bons são, eu simplesmente vou em frente e nem

sequer viro.

Se não estou a gostar, eu saio ou começo a remar, não quero forçar ou surfar pelos motivos errados."

 

 

 

 

O teu estilo e abordagem ao surf são muito diferentes do que estamos acostumados a ver na tua geração. Vemos que és muito fiel à tua essência e isso transparece no teu surf. Vês o surf como uma forma de te expressares?

Eu acho que surfar é tantas coisas diferentes ... muitas pessoas têm uma ideia diferente sobre o que é bom surf e isso é bom, mas eu gosto de todas as abordagens diferentes, sejam as pessoas a cortar a onda ou todas as manobras selvagens de alto desempenho. Eu surfo apenas porque adoro e surfo como me parece natural para mim, então sim, acho que é uma expressão de como eu me sinto. Às vezes, se toda a gente é agressiva e está a tentar provar o quão bons são, eu simplesmente vou em frente e nem sequer viro. Se não estou a gostar, eu saio ou começo a remar, não quero forçar ou surfar pelos motivos errados.

 

 

Tens uma imagem marcante que reflete o teu estilo de vida. O que é que te inspira?

Tudo me influencia fora do surf, eu ouço muita música, leio, vejo muitos filmes e inspiro-me assim. Muito disso é mais antigo ou o que eu acho mais intemporal ... Eu apenas pego no que eu gosto ou acho que parece bom e coloco-lhe o meu próprio toque, e é isso. Eu não me preocupo com o que toda a gente acha que é bom, eu apenas faço as minhas próprias coisas.

 

 

 

 

 

Recentemente, lançaste uma linha de t-shirts com uma forte mensagem anti-racismo. Como é que isso aconteceu?

Eu continuava a ver todas as cenas violentas a acontecer nas notícias e era muito nojento pensar que as pessoas podem ser tratadas de forma diferente apenas por causa da sua aparência. As pessoas dizem que não existe racismo, mas isso é treta, o racismo acontece a toda a hora. Eu ouço muito The Specials e muitas das letras deles de há 40 anos atrás poderiam ter sido escritas sobre o que está a acontecer hoje, então eu agarrei uma ideia de uma das suas músicas e comecei a fazer t-shirts em casa. Eu não tenho muito perfil ou influência, mas conheço pessoas que têm e a RVCA realmente deu um empurrou e colocou-as lá fora.

 

 

 

"Cada grupo de pessoas com uma plataforma e voz

pode influenciar outros dentro da comunidade de uma forma positiva."

 

 

 

Vários surfistas, incluindo Kelly Slater, apoiaram a tua iniciativa vestindo orgulhosamente a tua t-shirt. Achas que a comunidade do surf tem o poder de influenciar e mudar mentalidades?

Sim, acho que sim. Cada grupo de pessoas com uma plataforma e voz pode influenciar outros dentro da comunidade de uma forma positiva. Foi ótimo ver a quantidade de pessoas de alto nível que apoiaram e ficaram felizes em usá-la.

 

 

 

 

Quais são os teus planos para o futuro?

Tenho alguns planos para viajar e filmar, mas está tudo meio em espera de momento com as restrições de viagem. Mas eu espero fazer um vídeo na Austrália este ano.

 

 

Fotos por Jacksonn Jones

Perfil em destaque

Scroll To Top