quarta-feira, 12 maio 2021 09:57

“Vejo a Liga MEO como o modelo a ser seguido por outros países” - Halley Batista

Diz Halley Batista, finalista da 3ª etapa da Liga...

 

Halley Batista foi um dos nomes que marcou a última etapa da Liga Meo, o Joaquim Chaves Saúde Porto Pro, na praia de Leça da Palmeira.

O surfista brasileiro residente em Portugal surpreendeu no evento tendo chegado à primeira final da sua carreira na Liga MEO Surf. Esta foi a sua primeira etapa do ano na Liga e o seu resultado espelha a força do surf deste surfista que trocou o Brasil pelo sul de Portugal.

Halley é um experiente surfista com um vasto currículo em termos internacionais tendo, por exemplo, vencido os eventos do QS Mahalo Surf Eco Festival, no Brasil, em 2013, e o Malibu Hyuga Pro, no Japão, em 2012, tendo-se sagrado na mesma prova vice-campeão em Longboard.

A Surftotal esteve à conversa com o surfista que nos falou sobre a sua vida em Portugal e os seus planos a nível de competição.

 

 

 

 

O que te trouxe ao sul de Portugal?

O meu irmão Atamay Batista já estava a morar há quatro anos em Aljezur. Durante uma visita à região apaixonei-me logo por aquilo, ondas solitárias, boa comida, e segurança. Já passei por situações de risco no Brasil, por exemplo, assalto, sequestro...

 

Já estás aqui há alguns anos com os teus irmãos. Como tem sido viver em Aljezur?

Morar em Aljezur é maravilhoso, e já posso dizer que é a minha casa. O meu irmão Atamay e a família moram bem próximo, o que facilita a comunicação e os encontros, sempre que oportuno.

 

 

 

 

 

“Para mim, chegar à Final foi uma vitória

pois a liga Nacional hoje é uma referência para o mundo com um circuito fortíssimo.”

 

 

 

 

 

Tens percorrido a Liga MEO e na última etapa alcançaste um resultado expressivo mostrando um surf muito forte no caminho até à  Final onde o Vasco Ribeiro acabou por vencer. Como foi chegar à Final nesta terceira etapa da liga?

Para mim, chegar à Final foi uma vitória pois a liga Nacional hoje é uma referência para o mundo com um circuito fortíssimo. O Vasco é um grande surfista e poder estar na Final com ele disputando onda a onda foi mesmo incrível.

 

 

 

 

Como vês o nível de surf nacional e o circuito da Liga MEO?

Hoje, de dentro, vejo como o modelo a ser seguido por outros países.

 

 

Quais são os teus objectivos para a Liga MEO este ano?

Praticamente pretendo competir todos os eventos na costa Portuguesa e manter-me entre os tops.

 

 

 

 

 

 

És um guerreiro da Qualifying Series (QS) com um vasto currículo em termos internacionais. Quais são os teus planos a nível de provas do QS este ano?

Já para os QS pretendo ir a todos a nível da Europa e se possível a mais alguns com ondas especiais com tubos.

 

 

 Fotos: André Gomes / Surftotal

 

 

Itens relacionados

Scroll To Top