domingo, 25 julho 2021 18:55

"Em 4 dias o Surf vai chegar a mais pessoas do que alguma vez aconteceu na sua História..."

 Entrevista no Japão ao Director da 1ª prova de Surf nos Jogos Olímpicos...

 

Eric Krammer Diretor Técnico nas Olimpíadas do Japão, tem uma vasta experiência na Direção de provas de Surf em diversas competições Internacionais, tem 49 anos é Americano. Erik já morou no Brasil mas atualmente vive na Califórnia, a esposa e a filha são brasileiras daí falar fluentemente Português. Adora Portugal, já viajou muitas vezes para cá no tempo em que viajou com a ASP (agora WSL) no circuito WQS.

Em 1989 fez um intercâmbio para Portugal com a equipa de Surf Americana em Lisboa e Ericeira, e como todos os elementos da equipa ficaram com famílias diferentes conseguindo aprender a cultura portuguesa.

 

"Fiquei na família de Pedro e Miguel Santos, em frente da Praia de S.Pedro do Estoril, esta família tratou-me muito bem, gostei muito!", Confessa Erik Kranner durante esta entrevista À Surftotal

 

 

 

"Quando o Surf chegar aos Jogos Olimpicos de 2024 em Teahupoo,

 

aí vai então mudar tudo..."

 

 

 

 

 

Surftotal: Olá Erik, muito obrigado pelo teu tempo. Sentes uma grande responsabilidade ao seres director de prova da 1ª competição de Surf Olímpica?

Eric Krammer - Claro que sim, porque estamos no evento mais importante do mundo, e é a primeira vez que o Surf participa, então a responsabilidade é grande. Mas também sinto muito orgulho de estar nesta posição que é o resultado da experiência e de tudo o que aprendi até agora. Temos atletas de alta qualidade então eu sinto a pressão mas tenho uma equipa de alta qualidade à minha volta. E a equipa de juízes que são os melhores do mundo. Muita responsabilidade mas uma equipa muito boa.

 

Surftotal: Esta prova difere muita das provas do ISA em que fatores principalmente?

Eric Krammer - Tem várias diferenças entre esta prova e as da ISA e da WSL, a primeira é o nº de atletas que participam nesta prova é bem menor, enquanto numa prova da ISA temos cerca de 400 atletas, nos Jogos Olímpicos temos apenas 20 homens e 20 mulheres, que foi o nº que o Comité Olímpico autorizou.

Então o formato é bem diferente da ISA, começa com 5 baterias de 4 surfistas, aí o primeiro e segundo passam para a terceira ronda e o terceiro e quarto para a segunda ronda onde existem 2 baterias de 5, e na WSL e ISA não se fazem campeonatos com heats de 5, é bem diferente.

Outra diferença é que estamos a produzir este evento para o OBS (Olympic Broadcasting System) aqui os atletas continuam a estar sempre em 1º lugar, por outro lado também temos de nos adaptar, pois estamos a transmitir para todo o Mundo. Por esse motivo entre cada bateria há um tempo de paragem(10 minutos), os juízes fecham a bateria e as TVS fecham os resultados para o publico. Todos os atletas são apresentados e depois vão para a água, mas os critérios de avaliação são iguais.

Nós sempre falamos uma coisa, não são os Olimpicos que se vão adaptar ao Mundo do Surf, e sim o Mundo do Surf vai-se adaptar aos Jogos Olimpicos.

Tivemos que nos "sacrificar" um pouco para as olimpíadas, para chegarmos a este ponto, ao mesmo tempo o Comité Olímpico fez tipo uma troca com a ISA pois após explicarmos, estes perceberam que para fazermos uma competição de Surf precisávamos de tempo, de alguns dias de espera, o que é sempre subjectivo. Foi uma troca que resultou bem para ambos os lados!

  

 

 

 

"Em 4 dias o Surf vai chegar a mais pessoas

 

do que alguma vez aconteceu na sua História..."

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Surftotal: Como foi que surgiu este convite para liderares a prova de Surf em Tóquio?

Eric Krammer - A minha vida inteira foi à volta do surf, os meus pais são surfistas, a minha mãe fez competição nos anos 80 e passou para mim, eu comecei a fazer competição e ela era a minha treinadora, estive na equipa americana de surf, fiz competição amadora e profissional, mas nunca cheguei a fazer o CT, e aí fui para a faculdade. Em 1998 comecei a ser Juiz no WCT e fiz 11 anos a fazer todas as etapas do WCT e grande parte dos QS no Mundo, vivi muito tempo no Brasil, viajei muito mas eu e minha esposa queríamos parar.

Saí do Brasil e voltei para Califórnia, muitos anos depois a ISA contactou-me, sabendo da minha experiência, se eu queria ser Diretor dos eventos, com toda a parte técnica, isto em 2013. Fui aprendendo, e chegou o momento quando decidiram que o Surf ia ser Olímpico eu já era o Diretor Técnico. Em 2017 fui para a Suíça para organizar o desporto para ser Olímpico, criar regras, fiquei como líder na organização para passar a experiência, o Comité Olímpico Internacional (AOC). Estes não sabiam quase nada sobre surf mas queriam fazer evento e também perceber como funcionava um campeonato, eles aprenderam tudo de início e nós estávamos lá para ensinar.

 

 

 

"Em 2017 fui para a Suíça para organizar o desporto

 

para ser Olímpico - criar regras..."

 

 

 

Surftotal: Acreditas que após esta edição dos jogos olímpicos algo irá mudar no surf? Se sim o quê?

Eric Krammer -  Eu acho que sim, mas só o futuro o dirá! Estamos a mostrar o Surf a mais pessoas em 4 dias do que na história toda do surf. Então o publico atingido vai aumentar muito e vai fazer a diferença. Vai dar um retorno bem grande para o surf e quando voltar em 2024, a competição vai ser em Teahupoo no Taiti e aí vai mudar tudo, vai abrir o mundo do surf, porque pessoas que estão a ver o campeonato agora vão achar o surf bom mas em Teahupoo, com ondas gigantescas e os surfistas a arriscarem a vida, vão achar espetacular, uma loucura e aí vai mudar tudo.

Vai ter mais técnicos a quererem entrar, empresas a patrocinar. Financeiramente vai entrar mais dinheiro para o desporto crescer mais. O Surf vai bem mas depois das Olimpíadas vai abrir os olhos a pessoas fora do surf. Depois de Teahupoo, Califórnia e a seguir Austrália, o caminho é ótimo para o surf e o potêncial dos eventos, o que vai fazer o desporto crescer mais e mais e mais…

  

 

 

 

 

 

"O surf vai tornar-se um dos desportos mais respeitados do mundo..."

 

 

 

 

 

Surftotal: Será que vai acontecer aquilo que tanto se esperava? O surf vai passar a ser um desporto reconhecido pela sociedade em geral e de massas?

Eric Krammer - Eu acho que sim, mas vai ser uma evolução, todo o mundo vai ver, vai interessar-se numa 1ª fase mas depois o surf vai tornar-se um dos desportos mais respeitados do mundo.

 

Surftotal:Sobre o julgamento agora, esta inserção do surf nos Jogos Olímpicos, irá acelerar ou modificar de alguma forma como o surf tem vindo a ser julgado? Por exemplo inserir componentes estilo e artística quando se fazem as manobras?

Eric Krammer - Eu não sei, eu estou totalmente aberto para o futuro e evoluindo o julgamento do surf mas somente evoluindo para o bem, os juízes terem um critério que fique baseado nos elementos chave, que hoje em dia são, o grau de dificuldade e empenho, a progressão das manobras, e combinação de principais manobras e “speed power of flow” então essa é a base há muito tempo, mas já houve algumas mudanças, se formos aos primeiros critérios na história do surf está diferente, embora na realidade não esteja assim tão diferente dos anos 60, mudaram algumas palavras, mudou a pontuação mas a base está igual.

Pode mudar um pouco o estilo mas mudar o julgamento só se o surf mudar. Hoje em dia a pontuação muda porque o potencial dos surfistas continua a evoluir, está melhor, melhor e melhor. O potencial dos surfistas principalmente as femininas estão excelentes, a fazerem manobras fortes e progressivas, o que é muito bom para o desporto para termos igualdade de género, o que é muito bom para o crescimento do desporto.

 

 

 

 

"As previsões são muito boas, tivemos sorte por ter ondas..."

 

 

 

 

Surftotal:  Sobre as previsões, acreditas que a prova irá ter condições de gala?

Eric Krammer -  As previsões são muito boas, tivemos sorte por ter ondas, toda a gente sabe que o Japão tem ondas mas não são as melhoras ondas do mundo.

No ultimo mês na praia onde está a acontecer o campeonato esteve muito flat e no primeiro dia de espera estávamos com ondas de 1 metro de altura. Nós definimos o cronograma há dois anos atrás e começou exatamente como foi definido, sem ser necessário mudar, tivemos uma energia muito boa, e a previsão é para ter ondas ainda maiores.

No primeiro dia tivemos ao final do dia ondas de 1,5 metros e neste segundo dia de prova teremos ondas de 2 metros, vamos ter condições para que os surfistas façam boas manobras e grandes, aéreos.

Temos 8 dias para fazer um campeonato de 4 dias, mas na realidade podemos fazer o campeonato em 3 dias, se a previsão for boa em 3 dias, ou em 4 dias e o ultimo dia mais pequeno para finalizar, mas estamos a olhar para a qualidade, o melhor para os atletas.

 

 

 

 

 

 

"Se a prancha de surf do atleta está cheia de "stickers"

 

está a tirar o valor à empresa patrocinadora dos olímpicos..."

 

 

 

Surftotal:  Sobre a não possibilidade do uso de autocolantes nas prancha por parte dos atletas, queres explicar um pouco isso? E porque razão as pranchas e fatos podem ter impressos os logos?

Eric Krammer -  Tem uma regra nos desportos olímpicos, é a regra 50, não se pode mostrar que se está a fazer publicidade para empresas, é igual para todos os desportos. Onde as câmaras vão gravar tentam que seja um lugar “limpo” sem temas políticos, comerciais, porque tem alguns patrocínios que são olímpicos e estes têm direito a esse espaço, então se o atleta está cheio de "stickers" está a tirar o valor à empresa patrocinadora dos olímpicos.

 

 

 

 

"Já nos fatos de surf podem ter o representante do fabricante

mas com regra de tamanho..."

 

 

 

 

 

No equipamento há alguma liberdade de ter o logo na prancha do fabricante da prancha, mas tem de ser um fabricante que já produza a prancha há mais de seis meses atrás, e qualquer pessoa vai a uma loja e pode comprar esta marca de prancha, não precisa de ser iguais, mas a marca e o modelo terão de se encontrar disponíveis no mercado do surf. O logo pode ter cor e qualquer tamanho. Também têm de ter na prancha a bandeira do país, no deck e no bottom. Cada atleta representa a diversidade dos países onde vivem.

Já nos fatos de surf podem ter o representante do fabricante mas com regra de tamanho, só pode ter 30 cm2 , então fica pequeno, mas pode ter um em cima e outro em baixo. Se estiver a usar calções ou biquíni, aplica-se a mesma regra, só do fabricante.

Mas nós ajudamos os atletas, os fabricantes estavam preparados, só com o Italo Ferreira tinha o Timmy Patterson junto com Billabong mas o modelo já estava à venda há um ano e meio, então não houve problema.

Tudo em conformidade com a regra do Comité Olímpico.

 

 

 

 

 

 

 

Itens relacionados

Perfil em destaque

Scroll To Top