35 mil morsas no Ártico 35 mil morsas no Ártico D.R

Itens relacionados

sexta, 03 outubro 2014 14:03

DEGELO LEVA 35 MIL MORSAS DAREM À COSTA NO ALASCA

As alterações climáticas estão na origem do acontecimento, afirmam especialistas 

Cerca de 35 mil morsas deram à costa numa praia situada em Point Lay, na costa do Mar de Chukchi, no Alasca. Cientistas e biólogos apontam para uma situação fora do normal e culpam o aquecimento global.

 

De acordo com os responsáveis, este tipo de comportamento nunca fora registado antes, apesar de em 2010 cerca de 30 mil animais se concentraram também em Point Lay, e no ano passado, chegaram a ser 10 mil. Nos meses de verão é usual que a espécie migre para norte, rumo ao Mar de Chukchi, onde o gelo demora mais tempo a derreter e as águas, menos profundas tornam mais fácil caçar por alimento.

 

Já nos meses de inverno e após a época de acasalamento, as morsas migram para sul, também devido ao habitual crescimento da área coberta por gelo. De acordo NASA-supported National Snow and Ice Data Center (NSIDC),em setembro registou-se  a sexta área coberta por gelo mais pequena, no Ártico, desde 1978. Ou seja, as morsas ficaram sem local para descansar. “É mais um sinal das dramáticas condições climáticas resultado do degelo”, explica Margaret Williams, directora do programa do Ártico. “As morsas estão a dizer-nos o mesmo que os ursos polares e os povos locais nos disseram: as condições climáticas no Ártico estão a mudar demasiado rápido e é preciso o resto do mundo prestar atenção e agir”, acrescentou.

 

Não é de agora que os especialistas na matéria alertam para as consequências do aquecimento global. “Estes morsas ficaram sem gelo longe da costa e não tiveram outra hipótese: tiveram que vir para a costa”, defendeu Chadwick Jay, um ecologista do Serviço Geológico dos EUA, residente no Alasca.

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top