Visual do Parque Nacional Manú, no Peru. Visual do Parque Nacional Manú, no Peru. Foto: DR

Itens relacionados

quarta, 02 março 2016 14:35

ESTADO DE EMERGÊNCIA PARA A AMAZÓNIA PERUANA

Descargas de petróleo na região nordeste do país deixaram população sem água potável...

 

O governo do Peru declarou no passado domingo estado de emergência em 16 comunidades da Amazónia devido a descargas de petróleo na região de Loreto, situada no nordeste do país.

 

A medida, anunciada no Diário Oficial peruano e que envolve ajuda humanitária às comunidades e assistência nas operações de limpeza, vai agora vigorar por 60 dias. A decisão é tomada um mês depois de ter sido registado um derramamento de petróleo no distrito de Imaza, cuja população se estima em 23 mil habitantes.

 

Uma segunda descarga foi registada no início de fevereiro no distrito de Morona que tem cerca de 10 mil habitantes. Em ambos os distritos os residentes são predominantemente indígenas.

 

Os derramamentos ocorreram em partes distintas de um oleoduto construído nos anos setenta e gerido pela PetroPeru, uma companhia do Estado que distribui petróleo a partir da floresta, pelas montanhas dos Andes até as refinarias, por meio de uma longa rota na costa norte peruana.

 

Segundo os especialistas ambientais, os derramamentos devem-se à deterioração da infraestrutura. A PetroPeru acabou por ser multada em 3,6 milhões de dólares pela falta de manutenção do equipamento.

 

Ainda no início de fevereiro, o governo peruano considerou situação de emergência na área da saúde da região, pois o petróleo poluiu os rios que fornecem água potável aos distritos afetados.

 

Um grupo defensor dos direitos dos indígenas informou que desde 2010 ocorreram 11 fugas ou derramamentos de petróleo na região da Amazónia referente ao Peru.

Perfil em destaque

Scroll To Top