banner topf
O português Frederico Morais, em 13.º, no seu primeiro ano de World Tour, já ganhou 162.750 USD. O português Frederico Morais, em 13.º, no seu primeiro ano de World Tour, já ganhou 162.750 USD. Foto: WSL/Poullenot

Itens relacionados

quinta, 28 dezembro 2017 15:34

Surfistas da elite vão passar a receber mais dinheiro

Premiação das provas do World Tour sofre alteração em 2018… 

 

A World Surf League revelou recentemente o calendário 2018 das suas principais competições, nomeadamente o Championship Tour (CT), o Big Wave Tour e circuito mundial de qualificação (WQS). 

 

Com essa revelação ficámos a conhecer as principais mudanças do surf profissional, as etapas que saíram e as que entraram, enfim, as novidades possíveis neste momento, pois a verdade é que há ainda muita coisa por confirmar e a temporada ainda nem acabou. 

 

No entanto, uma das novidades de que ainda ninguém se lembrou de falar foi precisamente o aumento da premiação para os surfistas da elite mundial. Quer os homens como as mulheres vão passar a receber mais já a partir da próxima temporada. 

 

As provas masculinas do CT passaram de 579.000 USD para 607.800 USD, o que na prática se traduz num aumento de 28.800 USD. Já cada etapa do World Tour feminino foi atualizado de 289.500 USD para 303.900 USD. O aumento nas senhoras é de 14.400 USD

 

Feitas as contas, as senhoras recebem metade do que os homens recebem, mas é bom que se refira que uma grelha competitiva feminina contempla 18 atletas em cada evento, enquanto a masculina regista 36 participantes. 

 

Na verdade, atualmente, o WT está feito de forma a que os seus atletas marquem sempre presença nas etapas sem terem que despender de muito dinheiro próprio. Mesmo quando estes perdem os seus patrocinadores, deixando de contar com tão importante budget que ajuda a pagar as despesas da temporada (Nota: há alguns casos de atletas na elite sem sponsors), através da premiação (prize money) de cada prova, a WSL garante que todos os surfistas não saem de mãos a abanar. 

 

Até ao momento, a repartição do bolo é feita da seguinte forma: 

 

Round 1 não eliminatória

Round 2 / 25.º lugar / 500 pontos = 10.000 USD

Round 3 / 13.º lugar / 1750 pontos = 11.500 USD

Round 4 não eliminatória

Round 5 / 9.ª lugar / 4000 pontos = 13.750 USD

1/4 de final / 5.º lugar / 5200 pontos = 16.500 USD

1/2 finais / 3.º lugar / 6500 pontos = 25.000 USD

Final 2.º lugar / 8000 pontos = 50.000 USD

Final 1.º lugar / 10000 pontos = 100.000 USD

 

Isto são boas novidades para os surfistas profissionais, os organizadores é que têm agora que dar asas à imaginação para angariar mais uns euros para o bolo financeiro final. 

 

Só a nível de curiosidade, John John Florence, que revalidou o título mundial de surf, não foi quem mais recebeu prémios este ano. Confere AQUI os que receberam mais

 

Perfil em destaque

Scroll To Top