Itens relacionados

segunda, 10 fevereiro 2014 18:20

CARINA DUARTE "IMPEDIDA" DE COMPETIR NA AUSTRÁLIA

Surfista teve de se deslocar a Bali para pedir visto de trabalho.

 

Por Patrícia Tadeia 

Embora já estivesse na Austrália há uns dias, foi no dia em que começou a competição ProJunior, no passado sábado, que descobriu que não tinha o visto correto para competir. A verdade é que, segundo Carina Duarte, esta situação “está a acontecer com a maioria dos atletas”. A diferença é que a surfista da Ericeira teve tempo para sair do país para pedir o visto de trabalho - em vez do de turista que tinha consigo - antes do arranque da prova feminina do Hurley Australian Open of Surfing.

 

Mas comecemos pelo início. Carina Duarte estava já em Manly Beach, na Austrália quando se apercebeu do problema. “Sempre que íamos competir pensávamos que só precisávamos do visto de turista, mas este ano a ASP avisou duas semanas antes do campeonato e ninguém percebeu até nos dirigirmos à própria organização no dia que começou o pro júnior”, conta.

 

Ou seja, explica Carina à SurfTotal, “pelo menos as atletas femininas tiveram tempo de sair do país, para atualizar o visto, porque não e possível fazê-lo dentro de Austrália”.

 

Carina continua: “E alguns atletas nem fazem ideia o que é.... E a ASP só nos avisou que o Governo deve estar em cima do acontecimento, porque este tema está a dar muito que falar e quem for apanhado a competir sem visto será banido da Austrália por cinco anos.”

 

Quanto aos homens, cuja competição começou ontem, não havia tempo para conseguir atualizar o visto. “Alguns dos atletas masculinos vão mesmo correr o risco porque não têm tempo antes dos heats que já começaram”, diz Carina, ainda em Bali, à espera de uma resposta. O novo visto custa 165 dólares.

 

A noite de ontem ainda a passou em Bali, estando ainda a aguardar o visto. A partir de agora, contudo, garante que vai sempre pedir o visto de trabalho.  

 

Perfil em destaque

Scroll To Top