A perfeição das ondas do Pico de Matosinhos A perfeição das ondas do Pico de Matosinhos Click por Manuel Maia e Castro

Itens relacionados

quarta, 28 março 2018 03:22

A PRÓXIMA ONDA CITADINA A DESAPARECER EM PORTUGAL?

A onda do Pico de Matosinhos será a próxima vitima? Nesta imagem acima documentada por Manuel Maia e Castro, proprietário de uma das escolas mais antigas na Praia de Matosinhos (Escola Surfaventura)...

 

Muito se tem falado ultimamente sobre a situação do aumento extensão do "quebra-mar" do Porto de Leixões (com 300 metros). A obra já foi confirmada pelas entidades oficiais e própria APDL e promete melhorar o negócio e atividades afins no Porto de Leixões. O Surf suas gentes e economia própria terão força suficiente para sensibilizar as entidades, mantendo assim as Praias, de Matosinhos e Internacional do Porto, como um dos principais polos de desenvolvimento desta atividade no nosso País?

 

_" Bom dia amigos(a), hoje está sol e o mar subiu, já vimos a live cam e Matosinhos promete dar umas boas ondas à hora de almoço. Quem vem? Vamos combinar o ponto de encontro?.... esta conversa em grupo através de sms ou watts app ou outras apps smartphone são constantes entre as milhares de pessoas que frequentam diariamente as Praias de Matosinhos e Internacional, quando há ondas claro...

 

Existem a operar naquelas duas praias que se unem naturalmente, cerca de duas dezenas de escolas de surf, uma dezena de negócios de retalho de surf, e várias dezenas de bares e restaurantes que proporcionam refeições e acolhimento aos milhares de praticantes de surf.

A Surftotal quis saber mais e falou com alguns intervenientes do negócio das ondas naquela localidade, que estão a acompanhar de perto este tema.

 

QUAL A OPINIÃO DE ALGUNS INTERVENIENTES QUE DEPENDEM E DINAMIZAM O NEGÓCIO DAS ONDAS?

_"Não se pode dizer muita coisa neste momento, diz Marcelo Martins, proprietário da Onda Pura, Escola de Surf, há um estudo de impacto ambiental e económico a ser efetuado por forma a perceber como ficará o "ecossistema" ambiental e sócio económico após o alargamento do Molhe do Porto de Leixões. Muita coisa pode ainda mudar e estamos em contato com as respetivas entidades que estão sensíveis, e eu quero acreditar que sim, à economia que depende diretamente das Ondas.

Diogo Lamares proprietário da Grua Surf Shop, diz que o mais importante não é o seu negócio ser afetado mas sim o impacto que esta obra irá ter a nível Nacional e afirma em declarações à Surftotal:

"Julgo que não podemos afirmar que a construção/prolongamento irá afetar diretamente a economia local pois ainda não temos informação suficiente por parte dos responsáveis pela obra qual o impacto que esta irá ter.
 
No entanto e da vaga informação que temos, esse prolongamento poderá provocar:
- entrada de maiores e mais navios de carga;
- Por outro lado, o aumento de águas paradas, o que significa água com menor qualidade nas praias próximas;
- A poluição própria das águas paradas irá diminuir a afluência às praias envolventes, nomeadamente Matosinhos e Leça, pela falta de qualidade da água do mar e da areia, comprometendo o crescimento do comércio, restauração e serviços que têm proporcionado um crescimento considerável da região;
- O meio aquático será igualmente afetado com o agravamento da poluição das águas desta região 
- Quanto ao surf, visto que a ondulação predominante vem de Noroeste, este prolongamento irá bloquear a entrada de swell(ondulação) e sendo a praia de Matosinhos uma das principais praias para a prática de surf no norte, este prolongamento poderá por em causa as ondas de Matosinhos - e com isto todo o turismo nacional e internacional relacionado com o surf. 
- Com a falta de ondas, as escolas de surf terão de considerar outras praias para instalar o negócio, deslocalizando os alunos, potenciais alunos e o turismo de surf;
- Mais do que um problema local baseado em economia, este poderá ser um problema ambiental, social e cultural que deverá ser discutido não só no âmbito local mas sim a nível nacional."
 

 Há inclusive um inquérito(ver aqui) partilhado na internet por forma a ajudar a trazer as estatísticas certas para que se perceba o perfil do surfista que frequenta aquelas praias.

CORDÃO HUMANO DE DIA 14 DE ABRIL NÃO É UMA CONTESTAÇÃO:

Também o cordão humano de surfistas que irá acontecer no próximo dia 14 de Abril não será, segundo Marcelo Martins, uma contestação à construção do aumento do pontão, mas antes uma ação em prol da preservação ambiental do oceano e das praias.

Resta-nos aguardar pelo desenvolvimento desta situação e acreditar que o que for executado vai ser benéfico para todos os sectores sócio /económico incluindo a parte ambiental.

*A onda do pico sofrerá com a construção dos 300 metros de pontão em Leixões. Click por Manuel Maia e Castro

 

 

Perfil em destaque

  • Tiago Faria Tiago Faria

    Nova semana, novo talento do surf a ser revelado… 

Scroll To Top