Vitória importante coloca Kikas no Round 4. Vitória importante coloca Kikas no Round 4. Foto: Rita Neves

Itens relacionados

quinta, 18 outubro 2018 10:11

Frederico Morais sobrevive à ronda 3 e continua na luta em Peniche

Vitória do querer frente ao americano Conner Coffin… 

 

O Heat 4 do Round 3 entre Frederico Morais e o californiano Conner Coffin, 22.º e 9.º classificados no ranking mundial, começou meio lento e com ambos os surfistas muito pacientes até apanharem as duas primeiras ondas (faltavam 23 minutos para o final). Quiçá fruto da maré muito cheia… 

 

Na primeira troca de ondas, o português meteu para dentro de um caixote para a direita (infelizmente, sem saída), enquanto o norte-americano fez duas ondas rápidas e fugazes com a segunda a ser claramente a melhor (3.17). Kikas guardou a prioridade e fez bem, pois, passados 8 minutos, arrancou numa onda para a direita, com algum tamanho, meteu para dentro e terminou por sair na “doggy door”. 

 

A nota saiu em 3.93 pontos, nada de especial, mas para já a melhor da bateria que serviu para colocar o português na liderança. Segundos depois, apanha uma nova onda, novamente para a direita, onde desfere algumas curvas com pressão e acaba recompensado com 4.50 pontos. 

 

A precisar de 5.26, Conner Coffin aproveita uma direita, também com algum tamanho, para gerar velocidade e fazer um rasgadão na junção. Recebe 4.57 e reduz o requisito para o primeiro lugar - agora fixado em 3.86 pontos. Na resposta, Kikas consegue 3.93 pontos, mas não melhora a situação uma vez que esse já era precisamente o seu backup. 

 

No minutos seguintes, Morais manteve-se ativo e fez mais umas quantas ondas, todas de potencial fraco que não entraram nas contas do Heat Score. A cerca de 6 minutos do final deu-se uma troca interessante de ondas. Primeiro arrancou Coffin, com dois carves iniciais muito bonitos e de grande amplitude. Depois Kikas com uma onda similar, mas talvez mais preenchida, bem aproveitada e com uma finalização de encher o olho. 

 

Frederico recebe 6.83 (a mais alta nota do heat) e Conner 5.83 pontos. Isto significa que, com 3 minutos por disputar, o californiano continuava em segundo lugar, agora à procura de 5.51. O português tinha a prioridade no Heat neste momento, o que é sempre importante e pode até fazer a diferença. 

 

A pouco mais de 1 minuto para o fim, Frederico comete um erro crasso ao deixar o seu adversário arrancar numa direita que poderia ter dado, facilmente, para mudar as contas do Heat. No entanto, por sorte, Coffin acaba por cair no primeiro ataque ao lip, deixando o português em primeiro lugar e qualificado para o Round 4. 

 

Não foi um heat fácil, mas pode-se dizer que Frederico Morais esteve sempre em controlo e alcançou o objetivo de passar para a ronda 4, melhorando assim, ainda mais, a sua situação no ranking mundial. Foi uma vitória do querer… do querer fazer bem em frente aos fãs portugueses e do querer manter-se entre a elite. 

 

“Não é fácil conseguir um 5.5 ali dentro, por isso, deixei-o seguir na primeira onda com o intuito de apanhar a segunda”, começou por explicar o português sobre a oferta concedida nos instantes finais, adiantando de seguida “que é muito importante um bom resultado aqui para subir na tabela. É bom fazer o Round 4, mas espero conseguir ainda mais. O apoio é incrível, estão todos a torcer por mim e isso é fantástico”. 

 

Nas baterias anteriores do MEO Rip Curl Pro Portugal, disputadas hoje, já houve algumas surpresas com Italo Ferreira a passar por Jessé Mendes, Zeke Lau por Kolohe Andino e Matt Wilkinson por Jordy Smith. As contas da Surftotal Fantasy by Carver Skateboards cada vez mais baralhadas. 

 

No Heat 2 do Round 4 Frederico vai agora competir com o brasileiro Gabriel Medina e o taitiano Michel Bourez.

 

Continua a acompanhar em direto aqui

Vamoooossssssssss! 

Perfil em destaque

Scroll To Top