Kelly Slater afirma que as crianças deveriam fazer  Jiu-Jitsu antes de qualquer outro desporto Kelly Slater afirma que as crianças deveriam fazer Jiu-Jitsu antes de qualquer outro desporto Foto: DR

Itens relacionados

segunda, 10 junho 2019 02:05

Analogias entre o Surf e o Jiu-Jitsu

Arte marcial é popular entre surfistas do mundo inteiro… 

 

Jiu-Jitsu é uma arte marcial japonesa que utiliza técnicas de golpes de alavancas (chaves), torções e pressões para derrubar e dominar um oponente. A sua origem, como sucede com quase todas as artes marciais mais antigas, ainda que incerta, remonta às escolas de samurais, a casta guerreira do Japão. 

 

Com o tempo esta arte acabou por conquistar enorme popularidade no Brasil, terminando por ser denominada de Jiu-Jitsu Brasileiro - desenvolvida a partir do Judo (Ne waza = luta de chão) do mestre Kano (no início chamava-se “Kano Jiu-Jitsu”). 

 

Em 1913, um dos destacados instrutores do Centro Kodokan, Mitsuyo Maeda, também conhecido como “Conde Koma”, foi enviado a terras de Vera Cruz com a missão diplomática de receber os imigrantes japoneses e fixá-los no país.

 

Em Belém, o Conde Koma teve um aluno muito especial: Carlos Gracie. Carlos recebeu os ensinamentos por parte de Mitsuyo Maeda devido à afinidade deste com o seu pai (Gastão Gracie). Por sua vez, veio a ensinar a arte a todos os seus irmãos, em especial a Hélio Gracie. Tanto Carlos Gracie como Luiz França foram os grandes inovadores do Jiu-Jitsu brasileiro. 

 

Hoje em dia, apesar das duas atividades parecem muito diferentes, verifica-se enorme adesão de surfistas à prática desta arte marcial. Diz-se que há um cruzamento entre elas que não tem necessariamente a ver com a força nem o ego, mas antes com o respeito e a humildade. 

 

Talvez por esse motivo se explique que emblemáticos surfistas de quase todos os pontos do planeta procurem o tatame. Casos de Kelly Slater, Fred Patacchia, Yannick e Patrick Beven, Joel Tudor, Eric Olson e muitos outros, que são fiéis seguidores e praticantes de Jiu-Jitsu. 

 

 

Tal como todas as outras artes marciais, esta também exige perseverança, foco, prática e disciplina. Quem faz, procura aprender e melhorar. O Surf também é um bocadinho assim. 

 

No Jiu-Jitsu temos que aprender a acalmar-nos e trabalhar com o momento, com um espaço que é reduzido. É muito semelhante ao ambiente que, por vezes, encontramos no oceano onde os desafios são constantes. Por isso, os surfistas encontram muitas semelhanças entre as duas atividades e veem no Jiu-Jitsu um treino que, além de produtivo, também confere resultados efetivos ao Surf. 

 

É verdade que a parte psicológica tem muita influência, mas na verdade o Jiu-Jitsu trata-se de dominar a mente e o corpo - veja-se, no Surf, a resistência mental e a capacidade de manter a calma sob pressão também são fundamentais. 

 

Força, equilíbrio, reação, timing e confiança são algumas das vantagens que a prática do Jiu-Jitsu explora e acrescenta ao Surf. No entanto, como se sabe, é sempre a parte da motivação, que tem de vir de dentro, que nos leva ao sucesso. 

 

Bons treinos. 

 

- Na foto, Eric Olson com Joel Tudor no tatame. Foto: Ryan Craig

Perfil em destaque

Scroll To Top