Itens relacionados

domingo, 10 novembro 2013 09:25

A RECUPERAÇÃO DE OWEN WRIGHT E OS INJURY WILD CARD'S

Australiano regressou à água com prancha quatro meses depois.

Owen Wright começa finalmente a sentir alguma progressão na recuperação da grave lesão sofrida nas costas e que o atirou para fora da temporada deste ano. O australiano está fora da competição desde o início de Abril e regressou esta semana à água.


Tudo aconteceu durante o Rip Curls Pro Bells Beach. Owen agravou um problema que já o vinha a atormentar nos últimos tempos e foi obrigado a parar. Após os primeiros meses de ausência, o surfista de Culburra Beach anunciou que não competiria mais em 2013.


Owen Wright já leva sete meses de uma longa e penosa recuperação, com avanços e retrocessos. Esta semana voltou a entrar no mar para remar, algo que já não fazia há cerca de quatro meses.


Nas redes sociais, a estrela aussie revelou-se entusiasmado por este passo dado rumo à total recuperação, ele que prepara o regresso à competição para 2014. Owen deverá ser um dos premiados com um injury wild card da ASP para continuar no World Tour.


Quem também está numa situação idêntica é Tiago Pires. O melhor surfista português de todos os tempos lesionou-se no final de Outubro numa sessão em Santa Cruz e desde então que se encontra em processo de recuperação. Saca já falhou sete etapas seguidas do WCT, tal como Owen.


O australiano é carta fora do baralho para a última etapa em Pipeline, enquanto o português ainda está em dúvida, embora seja pouco provável a sua participação no Billabong Pipe Masters, que se realiza daqui a um mês.


Dessa forma, Tiago coloca-se num patamar de igualdade em relação a Owen Wright, ambos com 8 etapas falhadas, tornando-se nos dois principais candidatos a receber os injury wild card's disponíveis.


Contudo, há mais dois candidatos. O havaiano Dusty Payne falhou quatro eventos, mas está já de regresso à competição e vai competir em Pipeline. Aliás, há ainda a possibilidade de Dusty garantir a qualificação via WQS e deixar esta luta, uma vez que este ano já venceu o Prime em Margaret River e um bom resultado numa das etapas da Triple Crown coloca-o em lugares de qualificação – é 39.º, a cerca de 2 mil pontos de entrar na “bolha”.


Por fim, Glen Hall. O irlandês de origem australiano pode ser considerado o grande rival de Saca pela conquista do segundo injury wild card, partindo do princípio que Owen Wright tem o primeiro garantido.


Hall cumpre o seu ano de rookie e lesionou-se em competição, durante o Volcom Fiji Pro. Já falhou cinco etapas do Tour e ainda não é certo que regresse no Havai – está inscrito nos Primes de Haleiwa e Sunset e essa dúvida ficará esclarecida já na terça-feira quando arrancar a primeira prova.


Owen Wright e Tiago Pires parecem estar assim em clara vantagem sobre a concorrência, embora só no fim da última etapa seja oficial a atribuição das duas vagas por lesão. No entanto, parece tudo encaminhado para o portuguese tiger cumprir a sétima temporada consecutiva entre a elite mundial.

Perfil em destaque

Scroll To Top