Filipe a mostrar a sua apurada técnica Filipe a mostrar a sua apurada técnica Pedro Mestre / Liga Moche

Itens relacionados

segunda, 16 dezembro 2013 19:50

ALTOS E BAIXOS DO PIPE MASTERS

Com a análise do excelente tube rider, Filipe Jervis!

Com condições inesquecíveis e emoções até aos segundos finais das baterias, o Pipe Masters teve uma das melhores edições de sempre.

John John Florence foi o primeiro a sorrir, com a conquista da Triple Crown; Mick Fanning alcançou o tão desejado título e igualou o feito de Andy Irons com os seus 3 títulos mundiais; no final também Kelly Slater teve motivos para festejar com uma prestação arrasadora durante todo o evento, acabando o ano como Pipe Master e vice campeão mundial!

 

Convidado a analisar a prova, Filipe Jervis, surfista que conhece bem os tubos havaianos, deixa-nos aqui a sua visão sobre a última prova do World Championship Tour 2013.

 

Quem


…mais se destacou? Kelly Slater. Ele demonstrou  o porquê de ser o melhor do mundo e o porquê de ter ganho pela 7a vez o Pipe Masters.

 

…mais desiludiu? Michel Bourez. Estava à espera de um excelente resultado dele em Pipeline, mas apanhou um Jeremy Flores no heat e perdeu-se... Foi pena, porque gostava mesmo que ele tivesse ganho a Triple Crown.

 

…foi o mais focado? Há alguma duvida ? (risos) Mick Fanning como é obvio! Apesar de tudo o que dizem, ele foi campeão por mérito e não porque o levaram ao colo! Esteve no sitio certo à hora certa e acreditou ate ao fim em ambos os heats decisivos e provou porque é que mereceu ser campeão do mundo!

 

…foi mais favorecido? Na minha opinião, acho que não houve ninguém favorecido ao longo do evento. À excepção da onda do Yadin Nicol, que foi um bocadinho baixa, tudo o resto foi justo! Como referi acima, o Fanning mereceu ganhar e na minha opinião a onda dele é melhor que a do Yadin.

 

…são, na tua opinião, os principais candidatos ao título mundial para 2014? Há cada vez mais surfistas a disputar o top 10, e o nível está cada vez maior. O Kelly vai ser sempre uma ameaça, o Fanning pelo seu foco, o Joel pelo seu surf e o Jordy também merece disputar o título. Apesar de achar que ainda tem algumas coisas para melhorar, nomeadamente a sua raça competitiva, gostava muito de ver o John Florence a disputar o título também!

 

Curiosidades:

 

Que balanço fazes do ano de 2013 para o surf nacional?  

 

Na minha opinião, este foi o ano em Portugal com maior nível de sempre. O surf em Portugal está cada vez maior e mais forte. Há cada vez mais dinheiro envolvido no nacional e isso faz com que todos lutem um bocado mais pelo seu lugar no top 3. Espero que 2014 tenha tanto ou mais nível que este ano. A única coisa  menos boa que tenho a comentar, é o facto de haver cada vez mais dinheiro no mundo do surf, mas cada vez menos em nós surfistas. Esta é provavelmente a geração mais forte que Portugal produziu a nível de surfistas, no entanto, é a geração com menos dinheiro devido à crise. Eu acredito que se as marcas fora do surf também quiserem apostar não só nos eventos mas também surfistas, vão ajudar muito o surf português a explodir lá fora.

 

Quais os teus objectivos para 2014?

 

Quero viajar o máximo que conseguir, e fazer o máximo de campeonatos possível. Não está fácil para ninguém, mas se investirmos o nosso dinheiro de maneira inteligente, dá para competir mas também da para tirar proveito das viagens através de clips e de fotografias. Basicamente, quero continuar a dar importância aos campeonatos, mas nunca esquecer a minha imagem. Se tudo correr bem, vou realizar a 2a edição do “Jervis and Vagabonds”, com algumas diferenças, mas sempre para melhor

 

 

  • Créditos fotos: Pedro Mestre / Liga Moche

Perfil em destaque

Scroll To Top