Campeã do ranking 'QS 2016 no seu palco de treinos habitual. Campeã do ranking 'QS 2016 no seu palco de treinos habitual. Foto: Leo Neves

Itens relacionados

quarta, 23 novembro 2016 17:21

VETERANA SILVANA LIMA VAI COM TUDO EM 2017

 

Veterana brasileira vence ranking do ‘QS e quer voar mais alto…  

 

Corria o mês de março deste ano quando Silvana Lima teceu comentários contra o estereótipo que as marcas procuram no surf feminino. Silvana, que é definitivamente a melhor surfista brasileira dos últimos anos, queixava-se na altura, essencialmente, de falta de patrocínios pela sua imagem não corresponder à de “modelinho". Podes ver o vídeo da discórdia aqui

 

Pois bem, depois de ter andado um ano a correr a Qualifying Series, que terminou em primeiro lugar do ranking pela segunda vez na carreira (a primeira foi em 2014), ela volta novamente à ribalta mundial e ao Women’s World Tour da World Surf League - onde competiu em 2015. 

 

“Nunca pensei que minha carreira tivesse chegado ao fim. Acredito que ainda tenho muito tempo de surf e competição. Adoro competir e trabalho muito para isso”, disse esta semana à Hardcore Magazine sobre esse início de ano meio atribulado e carregado de incertezas. 

 

À conta de muito esforço pessoal, a temporada acabou por correr bem e a brasileira conseguiu mesmo fazer a despedida na Austrália com uma convincente vitória no QS6000 Sydney International Women’s Pro, a terceira conseguida esta época após alcançar também o topo do pódio na Praia do Forte (Brasil) e na Costa Rica. 

 

"Pela minha pontuação, eu já sabia que estava classificada. Cheguei na Austrália tranquila, sem busca de resultados, fui sem pressão. O treino que fiz em Bali foi muito importante, cheguei lá confiante. Me conectei – as ondas, a prancha; minhas amigas estavam lá e me ajudaram muito”, explicou. 

 

Com 32 anos de idade, podemos dizer que é seguramente uma das veteranas e a mais experiente entre o novo top 17 feminino mundial. Mais importante que isso, é a única brasileira que competirá no circuito mundial do próximo ano que volta a contar, mais uma vez, com domínio australiano, havaiano e norte-americano.  

 

Tal como Medina, de Sousa, Toledo, Ferreira, Pupo e outros tantos "zucas" que fazem parte da elite mundial masculina, também Silvana Lima enche agora o povo brasileiro de orgulho e alimenta a esperança de um título mundial na divisão feminina. 

 

Para ela, “A idade não importa muito, pois o mais importante é estar bem preparado; física e psicologicamente, com a prancha no pé." 

 

Está tudo dito. Boa sorte Silvana! 

 

- Surf consistente e de rail é o que oferece a atleta brasileira. Foto: Sick Frames

Perfil em destaque

Scroll To Top