Itens relacionados

quarta, 16 abril 2014 12:21

MICHAEL PETERSON: O REI DE KIRRA

Um dos atletas mais icónicos da história do surf australiano

 

Considerado um especialista em tubos e um dos melhores surfistas da Austrália dos anos 70, foi em Kirra Beach, na Gold Coast que se tornou ‘rei’. A sua ‘aura’ não se esgotava nas suas capacidades dentro de água, também era reconhecido como alguém que vivia a vida ao máximo, demasiado até.


Ganhou fama em 1971 ao participar no filme ‘Morning of the Earth’. No ano seguinte fez furor ao ser capa da revista ‘Tracks’, com uma imagem que ficaria para sempre conhecida como a 'foto cutback', o que faria disparar a sua carreira. 


Michael venceu o título australiano em 1972 e 1974, e entre 1973 e 1975, venceu todas as competições profissionais na Austrália. O seu sucesso desportivo nunca teria expressão fora do país natal. Uma das suas vitórias mais relevantes foi em 1977 no Stubbies Pro, em Burleigh, um evento considerado o primeiro de sempre do World Tour.


Peterson tornou-se um dos surfistas mais idolatrados da sua geração, e foi parte vital da revolução das shortboards. Oriundo de uma família humilde, Michael e o irmão montaram uma loja de board shaping, usando resina e fibra de vidro das fábricas locais. As reduções que fez nas pranchas dão-lhe lugar de destaque na revolução das short boards. Ficou famosa a ‘rocker’, com uma curvatura no meio das suas pranchas que lhe permitia acelerar ou travar distribuindo o peso do seu corpo no pé da frente ou no pé de trás, uma ideia que acabou por ser revolucionária.



Apesar do talento natural dentro de água, a sua vida foi fértil em maus momentos. O consumo de estupefacientes e o diagnóstico tardio de esquizofrenia levaram a algumas manchas negras na sua vida. Incluindo o famoso episódio em que depois de ser perseguido por 15 carros da polícia acabou por cumprir uma pena de prisão de um ano em Boggo Road, de onde viria a ser transferido para a Walcon Prison Hospital, onde poderia receber tratamento médico para a esquizofrenia.


Anos mais tarde, já em liberdade, ainda colaborou com o editor da ‘Tracks’ , Sean Doherty, para escrever a sua autobiografia. Em 2012, o lendário surfista acabou por falecer, vítima de um ataque cardíaco. A sua marca, essa, perdurará.


O lendário realizador Dick Hoole, encontrou no seu arquivo histórico do surf, uma entrevista nunca antes vista com MP, o Rei de Kirra. Estas são as imagens.


Perfil em destaque

Scroll To Top