As imagens que justificam a paragem do heat. As imagens que justificam a paragem do heat. Foto: WSL

Itens relacionados

quarta, 19 julho 2017 13:00

Open J-Bay “on hold” devido a tubarão

Visita de tubarão volta a forçar paragem da competição em Jeffreys Bay… 

 

Faltavam 5 minutos para o final do Heat 1 dos quartos de final do Corona Open J-Bay, entre Gabriel Medina e Mick Fanning, quando um tubarão decidiu cruzar o line up e meter a sexta etapa do World Tour “on hold”. Ontem um tubarão já tinha cruzado o line up e adiado o final do Heat 3 (Julian Wilson, Jordy Smith e Filipe Toledo) do Round 4. 

 

Em comum, tanto o momento de ontem como o de hoje, têm o facto de terem como protagonistas os finalistas de 2015, Julian Wilson e Mick Fanning, naquela histórica final que não terminou devido a um ataque de tubarão. E é nesta altura que temos que perguntar: Déjà vu? Perseguição?

 

Vamos seguir a acompanhar a ação, AQUI

 

 

Entretanto, o  porquê da repetição do heat entre Jordy Smith e Conner Coffin:

Antes do início dos quartos de final, após uma pausa, a WSL surpreendeu com a repetição do heat entre Jordy Smith e Conner Coffin relativo ao Round 5. Smith já tinha sido anunciado como vencedor da bateria, mas um recurso imposto por Coffin fez a direção de prova voltar atrás na decisão. 

 

O norte-americano alegou que a sua primeira onda não foi analisada corretamente, especificamente na parte final onde fez um tubo. Justificando o recurso, apresentou um vídeo com imagens capturados de um plano frontal, diferente daquele que os juízes têm desde a estrutura montada em J-Bay. Coffin recebeu 6.90 pontos por essa onda, mas acabou por dizer que poderia ter sido por volta dos 9.00 pontos. 

 

O chefe de juízes, Richie Porta, em conjunto com Kieren Perrow, acabou por dar razão ao californiano e desta forma o heat foi repetido. Jordy voltou a vencer, desta vez com um novo 10, e juntou-se à lista de atletas nos quartos de final. 

Perfil em destaque

Scroll To Top