Itens relacionados

quarta, 22 novembro 2017 16:21

Vagalhão de Rodrigo Koxa “ameaça" recorde mundial de Garrett McNamara

Brasileiro de 38 anos desceu onda que pode ir até aos 27 metros...

 

Habituado a desafiar a natureza de forma radical, o brasileiro Rodrigo Koxa superou-se a ele próprio no início de novembro. No passado dia 8, naquele swell histórico que invadiu a Praia do Norte e a Nazaré, considerada já a “Meca” das ondas gigantes, o experiente surfista de 38 anos dropou uma autêntica montanha de água com tamanho estimado 85-90 pés (25 a 27 metros). 

 

Com isto Rodrigo Koxa ameaça bater o recorde mundial de Garrett McNamara que é, precisamente, o seu ídolo e inspiração no que diz respeito a enfrentar desafios em ondas extremas. Se o tamanho se verificar e for oficializado, o brasileiro entrará para o Guinness Book, o livro dos recordes. 

 

“Esperei a vida toda por uma onda assim. Sempre foi meu sonho surfar essa onda e parecia até que eu sentia que ela estava por vir nessa viagem”, começou por dizer. “Na noite anterior, eu estava aparentemente calmo, mas minha mente estava muito inquieta, falando para mim mesmo o tempo todo: a onda vai vir! E quando vier, você vai botar para baixo, porque fez isso a vida inteira... e quando vier, você vai surfá-la. Esta fala ficava como um mantra em minha mente”, rematou.

 

O charger oriundo de São Paulo, um dos regulares da praia do Guarujá, foi puxado para a onda pelo piloto português Sérgio Cosme e fez ainda questão de relatar a onda: 

 

“No momento em que eu e o Serginho, meu parceiro português, vimos a onda, já sabíamos que ela era realmente gigante. Nesta hora ele gritou: é a bomba. Quer ir? E eu respondi: go, go, go! Quando soltei a corda, percebi que era uma montanha e a minha adrenalina que já estava muito alta, subiu ainda mais e, rapidamente, percebi que se tratava de muita velocidade e não poderia cair. A parte animal foi perceber a linha de surf que eu precisava fazer e acreditar que eu poderia mesmo descer a onda reto, buscando aproveitá-la ao máximo, ao invés de sair para o lado, o que geralmente acontece. Também foi assustador, porque a prancha ganhou velocidade e quase caí, mas acreditei na linha de descer reto. Meu sentimento foi de uma flecha dropando a onda toda. Depois foi só comemorar e agradecer!”

 

A iniciativa carece ainda de reconhecimento do Guinness Book, mas, para já, entra nas seleções do WSL Big Wave Awards, os Óscares das Ondas Grandes, e é mesmo uma das favoritas à vitória na categoria de maior onda. 

 

“Se vencer, realizarei o meu maior sonho como atleta profissional, big wave rider. Acredito, também, pela minha experiência, que existe uma chance enorme de quebra do recorde. Apenas as ondas vencedoras do XXL são medidas e somente em abril, no dia da festa da premiação, a WSL divulgará o tamanho das maiores ondas do ano. Sinceramente, espero que seja a minha”, acabou por dizer.

 

Por agora, fiquemos então com as imagens (em cima) e o vídeo da campanha: 

 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top