banner topf

Itens relacionados

quarta, 12 junho 2019 10:52

DISPUTA DE MARK ZUCKERBERG POR TERRAS HAVAIANAS IMPEDE ACESSO A PRAIA PUBLICA

O empresário norte-americano, fundador do Facebook comprou de forma controversa mais de 700 acres de terra em Kauai...

num terreno que inclui quatro parcelas de terra que uma família do Havai alegou que possuíam, o que dava aos moradores acesso a uma praia pública.

Segundo a família Rapozo, as quatro parcelas foram compradas em 1894 por Manuel Rapozo, um imigrante português, tendo os seus sete filhos e seus descendentes herdado os terrenos após a sua morte em 1928.

Desde a polémica compra em 2014 por cerca de 100 milhões de dólares, Mark Zuckerberg tem sido criticado, causando polémica ao construir um muro de dois metros ao redor da propriedade, bloqueando as vistas da praia pública e do oceano.

 

O CEO do facebook e a sua esposa foram criticados e acusados de serem colonizadores modernos tomando terras ancestrais Foto: Lori Dill /Daily Mail

 

Desde há quase cinco anos Zuckerberg tem vindo a perseguir os direitos da terra e, depois de várias ações judiciais falharem, anunciou o seu apoio à reivindicação à terra por parte de Carlos Andrade, um primo distante da família Rapozo.

Num comunicado, Carlos Andrade afirmou que ele, a sua esposa, filhos e netos têm vivido nas terras, usando, cultivando, cuidando e protegendo-as por mais de 40 anos, afirmando ainda serem os únicos membros da família Rapozo que o fizeram.

As alegações do professor de estudos havaianos, é no entanto contestada pela família, que se afirma cética de que, como professor aposentado, ele tenha os meios para garantir a terra.

 

As parcelas de terra reivindicadas pela família Rapozo situam-se no interior da praia de Pilaa, nas terras compradas por Zuckerberg Foto: Daily Mail

Após uma longa batalha, a juíza Kathleen Watanabe ordenou que a terra fosse vendida em leilão e na semana passada, Carlos Andrade superou os seus parentes adquirindo 2,2 acres de terreno num valor de mais de 2 milhões de dólares.

A família alega que a compra foi patrocinada por Mark Zuckerberg insistindo que as terras não pertencem legalmente e culturalmente a Zuckerberg ou a Carlos Andrade, mostrando-se devastada com este desfecho.

Agora, após anos de disputa é esperado que o terreno se torne parte da propriedade do CEO do facebook, impedindo o acesso publico à praia.

Perfil em destaque

Scroll To Top