Itens relacionados

quinta, 12 dezembro 2019 09:22

FILIPE TOLEDO E JORDY SMITH ELIMINADOS DA CORRIDA PELO TÍTULO EM PIPELINE

Ontem, ao competirem na ronda de 32...  

O Billabong Pipe Masters, a última etapa do Championship Tour (CT) da World Surf League (WSL) 2019 e a terceira da Triple Crown Havaiana, testemunhou ontem um dia dramático de combates intensos na Ronda de 32 com os melhores surfistas do mundo a competirem em ondas de 2,4 a 3 metros.

 

O dia competitivo de ontem viu o número 1 no ranking mundial, Italo Ferreira (BRA) e o número 2 Gabriel Medina (BRA), sair de uma ronda de 32 cheia de suspense para reforçar a disputa pelo título mundial. O número 3 no ranking, Jordy Smith (ZAF) e o número 4, Filipe Toledo (BRA), saíram da corrida após as derrotas devastadoras de Ricardo Christie (NZL) e o campeão da Triple Crown de 2018 Jesse Mendes (BRA), respectivamente.

 

Com tanto em jogo em Pipeline, cada heat era uma série de mini-drama, com o esperançoso título de Filipe Toledo a tornar-se a primeira vítima nas mãos do neozelandês Ricardo Christie, que eliminou o concorrente ao título com um total combinado de 11.04 contra os 9.84 de Toledo.   

"Cometi alguns erros de prioridade no heat", disse Toledo. “Remei para algumas ondas que eu deveria ter mantido a prioridade e esperado por uma onda melhor. Eu só estou cansado. É duro. Você está tentando não provar a ninguém o que consegue fazer, mas, ao mesmo tempo, no fundo da sua mente, está realmente tentando. Então, eu só tive que me pressionar.”

 

 

Depois de uma boa performance no seu heat na ronda de abertura, que o levou diretamente para a Ronda de 32, Jordy Smith enfrentou Jesse Mendes (BRA) em condições desafiadoras sendo eliminado pelo surfista brasileiro terminando a etapa em 17º lugar.

Apesar da derrota, Jordy teve uma temporada incrivelmente consistente com apenas quatro derrotas antes dos quartos de final. Esta também foi a quinta vez que Jordy ficou aquém da corrida pelo título mundial (ficou em 2º em 2010, em 4º em 2013, em 2º em 2016, em 4º em 2017e em 3º em 2019). O atleta de 31 anos está agora ansioso por 2020 onde lutará mais uma vez pelo título mundial e representará também a África do Sul após assegurar a sua qualificação provisória para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

 

"É algo difícil de engolir no final de um grande ano", disse Jordy Smith. “As últimas três semanas foram bem difíceis. Mas lutas todos os dias e voltas mais forte e é isso. Apenas a tentar sentir-me orgulhoso, eu acho.”

 

 

Já Italo Ferreira competiu no primeiro heat da Ronda contra o seu conterrâneo Jadson Andre (BRA) vencendo com um total combinado de 8,53 (em 20 pontos possíveis) continuando a seguir em frente na busca pela conquista do título mundial .

 

Por sua vez o wildcard havaiano Imaikalani deVault fez o bicampeão mundial Medina trabalhar pela vitória no 9º heat após de ter conquistado a melhor onda durante uma troca de ondas entre ambos os atletas que lhe valeu um excelente 9,57. No entanto, DeVault não conseguiu encontrar uma boa pontuação de backup para afastar o brasileiro da corrida ao título que conseguiu um total combinado de 17,07, um dos mais altos do evento.

O número 5 no ranking, Kolohe Andino encerrou o dia com uma vitória sobre Sebastian Zietz (HAW), que lutava pela requalificação para voltar ao CT de 2020 no Heat 16. Andino superou Zietz com uma vantagem de 1,84 pontos, levando Zietz a sair do último evento da temporada em 17º lugar, insuficiente para voltar ao CT no próximo ano.

Já Kelly Slater (EUA) fez um 10 perfeito ao surfar um tubo para a direita impensável. A vitória calorosa de Slater contra Joan Duru (FRA) mantém acesa as suas esperanças de qualificação olímpica. Enquanto isso, o bicampeão mundial John John Florence (HAW) recuperou a magia e garantiu uma nota quase perfeita, um 9,70.


Perfil em destaque

Scroll To Top