PRANCHAS DE SURF - A HISTÓRIA POR TRÁS DO MODELO DE SUCESSO “NO BRAINER” Dan Man e Kelly Slater Foto: Firewire Surfboards

Itens relacionados

quarta-feira, 05 fevereiro 2020 17:21

PRANCHAS DE SURF - A HISTÓRIA POR TRÁS DO MODELO DE SUCESSO “NO BRAINER”

Da marca de pranchas de surf Firewire...



Por vezes, quando tudo é focado e direccionado em torno de uma ideia que parece ir de encontro ao objectivo final é quando as surpresas acontecem.

Neste caso podemos dizer que a história do modelo “No Brainer” foi uma verdadeira “dor de cabeça boa” quando a equipa de desenvolvimento de produtos se deparou com o facto da prancha funcionar em outro tipo condições e plataforma do que era previsto .

A famosa empresa de pranchas de surf Firewire, adquirida pelo 11x Campeão Mundial Kelly Slater, tem vindo a desenvolver super modelos para todos os amantes do surf que procuram inovação e algo de diferente para surfarem.

Depois da vários anos a desenvolver modelos de pranchas de surf, Kelly Slater e a sua equipa técnica, bem como os team riders da marca, deparam-se com o surpreendente facto de o modelo “No Brainer” funcionar em piscinas de ondas, visto que este foi supostamente desenvolvido para as ondas da Florida, nos Estados Unidos.

O “nascimento” da prancha aconteceu num dia em que Kelly Slater se encontrou com o famoso shaper Dan Man para realizar pedidos muito específicos de pranchas que tinha em mente, ideias essas que, no momento, o shaper achou muito fora do que estava habituado a fazer.

Foi então que surgiu o projecto do modelo “No Brainer”, uma prancha pensada em ir ao encontro das necessidades do surfista diário, que por norma surfa em más condições, tendo o primeiro pensamento da equipa sido desenvolver uma prancha para surfar ondas pequenas e de fraca qualidade na Florida.

 

DAN MAN COM A SUA 5´8 NO BRAINER Foto: Firewire Surfboards

Ao longo do processo de testes o modelo foi variando de shape, mas um dos principais pontos de viragem foi quando o próprio Kelly Slater pediu a Dan Man para adicionar um swallow tail, que acabou por ser o tail final.

O resultado? Uma prancha fácil de remar, boa nos floaters e nas batidas, surpreendentemente rápida nas transições entre as manobras e que cria velocidade no bottom, mesmo nas secções mais rasas da onda.

Mas a grande novidade deste modelo, que acabou por ser uma surpresa para toda a equipa, foi facto de funcionar muito bem em piscinas de ondas, mais concretamente no Surf Ranch e Waco Texas.

Uma prancha bastante versátil, que ao que parece se enquadra nas nossas condições de surf diárias e que funciona tanto no mar como em piscinas de ondas.

NO BRAINER Foto: Firewire Surfboards

 

 


Perfil em destaque

Scroll To Top