Foto: Mark Baker Foto: Mark Baker

Itens relacionados

quarta-feira, 03 junho 2020 14:02

SURFISTAS UNEM-SE CONTRA A BRUTALIDADE POLICIAL E O RACISMO

Demonstrando-o nas suas redes sociais...

O vídeo da asfixia de George Floyd, morto pela polícia de Mineápolis na semana passada, correu o mundo e não deixou ninguém indiferente.

O cidadão afro-americano faleceu após um polícia branco lhe ter pressionado o pescoço com um joelho durante cerca de oito minutos numa operação de detenção, apesar de Floyd dizer que não conseguia respirar.

A divulgação das imagens chocou o mundo e deu origem a protestos em dezenas de cidades norte-americanas, algumas das quais foram palco de atos de pilhagem.

Os protestos ultrapassaram fronteiras e a campanha #BlackoutTuesday, que tem como objetivo promover um momento de reflexão contra o racismo e a morte de pessoas negras, tornou-se viral nas redes sociais.

 

 

Os quadrados pretos nas redes sociais mostram a solidariedade com os protestos raciais nos EUA. Foto: Mark Trowbridge/Getty Images

 

 

A campanha que é marcada por fotos pretas acompanhada da hashtag #blackouttuesday foi apoiada pela comunidade do surf mundial com surfistas como Kelly Slater, Gabriel Medina, John John Florence, Filipe Toledo, Italo Ferreira, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, entre muitos outros, a abraçar a iniciativa contribuindo para a reflexão e mudança desta realidade a que ainda assistimos. Vários surfistas nacionais também aderiram, entre eles Vasco Ribeiro, Tiago Pires, António Silva, Yolanda Sequeira e Mafalda Lopes.

A comunidade do surf ainda mostrou o seu respeito pela perda de George Floyd ao realizar um paddle out em Inkwell Beach, na Califórnia, que contou com mais de 100 surfistas.

 

 

Mais de 100 surfistas juntaram-se em Santa Mónica num paddle out em memória de George Floyd.   Foto: Nicole Charky/Patch

 

Perfil em destaque

Scroll To Top