Erica Máximo Erica Máximo caparicawaves segunda-feira, 28 novembro 2022 08:38

Francisco Almeida e Erica Máximo vencem Special Event do Circuito ASCC Caparica Power 2022

Prova decorreu no passado fim-de-semana.

 

 

Num fim-de-semana em que ondas de um metro rolaram perfeitas e sem vento na Praia do Marcelino, na Costa da Caparica, decorreu o Special Event do Circuito ASCC Caparica Power 2022 sponsored by Almada Forum presented by Billabong powered by Native Açaí e Go Chill. A prova culminou na vitória de Francisco Almeida e Erica Máximo, no passado domingo, dia 27 de Novembro.

Este evento juntou os melhores surfistas do circuito, que se destacaram nas duas etapas anteriores nas categorias Open, Feminino, Sub-21 e Sub-16. O fim-de-semana ficou marcado tanto pelas direitas clássicas como por um nível de surf notável que resultou em várias notas excelentes.

 

 

 

Francisco Almeida brilha na final contra Lourenço Alves

 


A categoria Open contou com atletas vindos das categorias da nova geração. Na final assistiu-se a um confronto entre Francisco Almeida e Lourenço Alves. Foi desde cedo que a vitória começou a sorrir a Francisco, tendo este aberto as hostilidades com uma onda de 7.33 pontos (em 10 possíveis). Apresentando manobras de rail muito agressivas e consistentes e uma linha de surf polida de frontside associada a uma boa escolha de ondas, Francisco fez uso da sua maior experiência competitiva nacional e internacional para levar de vencida o adversário.

Lourenço Alves esteve em grande forma durante todo o campeonato com manobras verticais de backside que lhe garantiram a chegada à final e a melhor onda de todo o campeonato (9.17 pontos nas meias-finais no duelo com Alan Saulo) mas na derradeira bateria do evento teve de correr atrás do ritmo do adversário, e foi a fraca escolha de ondas que o deixou aquém da vitória. Francisco conseguiu descartar a sua onda de abertura, e alcanlou o nível de excelência nas suas duas últimas ondas (8.57 e 8.83 pontos) finalizando a sua performance com o melhor score do evento (17.40 pontos em 20 possíveis).

Alan Saulo e Ian Costa perderam nas meias-finais terminado em 3º lugar, enquanto o atual campeão nacional, Guilherme Ribeiro, bem como Cainã Souza, Gonçalo Vieira e Miguel Lages ficaram-se pelos quartos-de-final man-on-man.

 

 

 

Francisco Almeida. Caparicawaves

 

 

Maria Dias dá luta, mas não supera Erica Máximo



Na final Feminina, o duelo foi entre a goofy Erica Máximo e a regular, Maria Dias. Erica iniciou a bateria com uma onda de 5.50 pontos, assumindo a liderança, e Maria respondeu com ondas na casa dos 3 pontos. A actual campeã nacional Pro-Júnior soube gerir bem a bateria, apanhando uma das maiores ondas do set onde atacou o lip e desenhou vários curvas que lhe valeram 6.17 pontos. Maria Dias ficou a precisar de uma onda excelente a cerca de 10 minutos do fim. Maria, vencedora da primeira etapa do circuito, ainda reagiu com uma última onda comprida e bem trabalhada, que valeu 5.33 pontos. No entanto, não foi suficiente para virar o resultado a seu favor.  Erica Máximo venceu com 11.67 pontos contra os 8.86 pontos da finalista vencida.

Beatriz Carvalho e Carlota Chaveiro ficaram em 3º lugar. Salienta-se que Beatriz Carvalho efetuou nos quartos-de-final uma onda excelente de 8.00 pontos.

Antes das finais foi realizada uma Expression Session vencida por Cainã Souza com um backside air com bastante projeção e altura sem agarrar a prancha, manobra de surf progressivo que superou os aéreos reverse de Guilherme Ribeiro e Alan Saulo.

 

 

Cainã Sousa. Caparicawaves



Todos os competidores lutaram para ganhar vouchers de bons prémios atribuídos pela 58 Surf.

“Não podíamos ter tido um melhor desfecho do circuito Caparica Power com as condições de surf que assistimos nos dois dias de prova”, salientou o presidente da ASCC, Miguel Gomes. “As ondas estiveram clássicas e o nível de surf excelente. Foi interessante vermos os atletas da nova geração de Sub-16 e Sub-21 a competirem contra surfistas mais experientes. É importante haver eventos deste género para os mais jovens perceberem o que os espera se ambicionam um dia competirem nas provas nacionais e do circuito mundial de qualificação. Agradecemos a todos nossos patrocinadores e apoios que possibilitam-nos fazer este trabalho em especial ao Almada Forum, à Billabong, Native Açaí, Go Chill, Câmara Municipal de Almada e Junta de Freguesia de Costa de Caparica. Esperemos que em 2023 seja um circuito maior e melhor”, rematou.


 

 

Guilherme Ribeiro. Caparicawaves

Itens relacionados

Scroll To Top