Itens relacionados

sexta-feira, 27 junho 2014 15:25

FRANCISCO ALVES A CAMINHO DE PADANG PADANG

Entretanto, também já são conhecidos os vencedores dos Trials.

 

Falta pouco mais de uma semana para o início do período de espera do Rip Curl Padang Padang 2014, que acolhe uma das melhores esquerdas e tubos do mundo, e que nesta 11ª edição tem uma novidade muito especial: a presença de Francisco Alves. O jovem surfista da Costa da Caparica está entre o rol de convidados internacionais que vão marcar presença no evento que decorre entre 5 e 17 de julho em Padang Padang, Bali, Indonésia.

 

Da lista de atletas, além de Francisco Alves, constam nomes como Tom Curren (EUA), Taylor Knox (EUA), Ricardo dos Santos (Brasil), Ricardo Christie (Nova Zelândia), ou Jacob Willcox (Austrália). De recordar que o vencedor da edição de 2013 foi o local Mega Semadhi.

 

A prova acolhe ainda surfistas locais apurados através de um evento de triagens, que decorreu hoje. Rahtu Suargita e Koki Hendrawan foram os apurados, vencendo assim o Rip Curl Cup Trials. Rahtu Suargita recebe assim o seu segundo wildcard da Rip Curl Cup e Koki Hendrawan, o wildcard local para o 2014 Rip Curl Cup Padang-Padang. Com ondas de quase dois metros, os quatro finalistas Rathu Suargita, Mustofa Jeksen, Koki Hendrawan e Koko Mitsua tiveram de lutar pelos dois desejados wildcards para o Rip Curl Cup Padang-Padang. 

 

A final foi um autêntico campo de batalha entre os dois surfistas de Kuta, com Mustofa Jeksen a arrancar com um tubo que lhe valeu 7.17 pontos (em 10 possíveis). Mas o vencedor dos Trials do ano passado, Rahtu Suargita, fez a onda mais bem pontuada da final, com um score de 9.83 pontos, não deixando qualquer dúvidas que queria estar presente no evento.

 

A partir daí foi das melhores finais que se podiam ter visto, com os dois surfistas a dar luta, onda após onda, não esquecendo que ali ao lado estava também o local de Bukit, Koki Hendrawan. Koko Mitsua, infelizmente, acabou por se magoar nas costas, embora sem gravidade, mas isso afectou a sua performance. 

 

Acabou por ser a escolha da onda o critério crucial, com Rahtu a mostrar uma grande paciência e tranquilidade, acabando por encontrar mais uma onda de 9 pontos para juntar aos 9.83 que já tinha alcançado. Totalizava assim 18.83 pontos no total.

 

E apesar de Mustofa ter feito excelentes ondas que lhe valerem uma junção de 9.5 pontos e 8.33 pontos, nunca encontrou aquela onda mágica, estando ainda a precisar de 9.43 pontos. Quando a buzina soou, e as ondas todas pontuadas, foram Rahtu Suargita e Koki Hendrawan a levar a melhor.


No pódio, Rahtu falou sobre o facto de receber o segundo wildcard na Rip Curl Cup. “Estava apenas a divertir-me lá fora. Se me deixar levar pelo momento e não pensar nos resultados, surfo muito melhor, então só pensava em fazer tubos mais profundos e manter-me mais tempo na onda", disse. “Mas sabia que numa final com o Mustofa, ele podia fazer um 10 facilmente, e houve tantas ondas, por isso sabia que se era o meu dia, era o meu dia. E foi! Obrigada Padang-Padang!”, conclui. 

 

 

 

 

  

Perfil em destaque

Scroll To Top