A intervenção abrange a Barrinha de Esmoriz, em Ovar, e a Lagoa de Paramos, em Espinho. A intervenção abrange a Barrinha de Esmoriz, em Ovar, e a Lagoa de Paramos, em Espinho. Foto: DR

Itens relacionados

sexta, 21 dezembro 2018 10:41

Desassoreamento da Barrinha de Esmoriz será executado em 150 dias

Adjudicada a conclusão da empreitada de dragagem...

 

A Polis Litoral Ria de Aveiro adjudicou, recentemente, a conclusão da empreitada de dragagem da Barrinha de Esmoriz, que inclui a transposição de sedimentos para redução da erosão costeira, à empresa Manuel Maria de Almeida e Silva & CIA, S.A., por 1,339 milhões de euros.

 

A intervenção, que deverá ser executada em 150 dias, abrange a Barrinha de Esmoriz, em Ovar, e a Lagoa de Paramos, em Espinho, e inclui a transposição de sedimentos para redução da erosão costeira. 

 

A dragagem e despoluição faziam parte da empreitada de requalificação e valorização da Barrinha de Esmoriz, iniciada em setembro de 2016 e suspensa antes da época balnear de 2017, pela Polis Litoral Ria de Aveiro, por alegado incumprimento por parte do empreiteiro.

 

A empreitada irá proceder à dragagem de 272.000 metros cúbicos de sedimentos e a sua deposição por repulsão na costa, a norte do esporão norte e a sul do esporão sul.

 

Já os materiais dragados compatíveis com areia de praia serão depositados nas praias de Paramos e de Esmoriz, com o objetivo de minimizar os efeitos da erosão costeira característica deste trecho do litoral.

 

Os restantes materiais serão lançados no mar através do topo dos esporões a norte e a sul da Barrinha.

 

A lagoa está em zona protegida pela Rede Natura 2000. Desde 2016 que tem recebido trabalhos de requalificação ambiental que deverão ultrapassar quatro milhões de euros, financiados em 85 por cento por fundos europeus.

 

2,7 milhões de euros foram investidos em desassoreamento de 272 mil metros cúbicos de lodos e areias, reabilitação do dique fusível, requalificação de margens e cordões dunares, construção dos novos percursos de lazer e plantação de centenas de novas árvores no local.

 

Com 398 hectares, a barrinha de Esmoriz e Paramos é considerada a zona húmida mais importante do litoral norte português e de relevante biodiversidade por integrar três habitats naturais de conservação prioritária e servir para a reprodução e paragem de 162 espécies de aves protegidas.

Perfil em destaque

Scroll To Top