Itens relacionados

segunda, 16 setembro 2019 02:25

Português Sacha Garcia e Galega Isa Gundín vencem Luso Galaico 2019

O Surf Open apresentou um alto nível ao longo de toda a competição...


 
Em ano de celebração do 30º aniversário do Surf Clube de Viana (SCV), o Luso Galaico (LG), que se realizou este fim de semana na praia da Arda, em Viana do Castelo, registou um recorde de inscrições, 91 atletas, um alto nível de surf, beneficiando da presença dos melhores surfistas do norte de Portugal e da Galiza e de boas ondas, excelente organização e ainda a introdução de uma nova modalidade: SUP Wave.
 
O Surf Open apresentou um alto nível ao longo de toda a competição, com Tarik Hajbaoui, vencedor do LG 2018, a ser eliminado logo na 1ª ronda e Filipe Aires, vencedor em 2016, eliminado nos quartos de final. Em grande destaque esteve Sacha Garcia a conquistar o primeiro lugar da final, com um score total de 11,73, seguido do vianense João Crespo, com 10,73, de Tomás Arroja e de David.
 
“Houve bom nível, bom surf e boas ondas. Foi uma boa preparação para os próximos campeonatos como o GromSearch”, avançou Sacha.
 
No Surf Feminino, a final foi muito disputada, tendo apenas 40 décimas separado a grande vencedora, Isa Gundín, da sua colega Martina Alvaréz. Nesta final, quase exclusivamente galega, em 3º lugar ficou Lola Bernúdez e Mariana Reis em 4º.
 
“Na final, tive duas boas ondas e consegui a vitória contra adversárias que conheço bem e praticaram bom surf”, referiu Isa Gundín”.
 

Em Bodyboard Feminino, Letícia Flores Cruzeiro, com um score total de 11,83, venceu destacadamente na final, seguida de Sara Silva, de Luana Costa Ferreira e de Sara Alen de Chevarria.
 
Letícia Cruzeiro, que pratica a modalidade há cerca de ano e meio e que tinha por objetivo vencer em Viana, diz sentir-se muito feliz com esta sua estreia no LG. “Correu muito bem. Alcancei o meu objetivo, que era o primeiro lugar. As condições que encontrei foram boas”.
 
Joel Rodrigues foi a grande estrela do Bodyboard Open, com o score mais alto das finais, 12,07. Tendo também este resultado lhe valido um wildcard para o Pro Junior. Em 2º lugar ficou Alex Rico, à frente de Tiago Ferreira e de Uxio.
 
“Fiz bons heats. Houve boas ondas ao longo da competição. Os adversários eram bons”, explicou, acrescentando “no mundial vou lutar para chegar à final”.
 
Román Diez, com 11,83 de score, venceu destacado em Longboard, seguido por Tomás Arroja, por Eduardo Martins e por Mariana Gonçalves, ambos atletas do SCV.
 
“Correu bem, apesar de sermos poucos. Para longboard, as ondas estavam muito boas. Quanto aos meus objetivos, como selecionador da modalidade em Espanha, procuro atletas para irem ao mundial”, avançou Román Diez.
 

Na estreante categoria de SUP Wave também houve muita disputa, com Ângelo Bernardo, de Moledo, a vencer, por uma diferença de 57 décimas, Eduardo Martins, que ficou à frente da colega de equipa Ângela Fernandes e de Pedro Break.
 
“A prova correu-me bem! Neste último heat, a maré já tinha enchido e dificultou um pouco! Foi uma excelente iniciativa e espero que continue”, referiu Ângelo.
 
Eduardo Martins, que não tinha definido objetivos competitivos, também considera ser “uma excelente iniciativa inovar o LG com o Paddle, uma modalidade nova mas com grande crescimento a nível mundial”.
 
Do SCV competiram nove atletas. Além dos três já referenciados anteriormente, destaque, em Surf Feminino, para o 5º lugar de Raquel Otero e para o 7º de Raquel Vale, e ainda, em Surf Open, para o 7º lugar de João Maria Pereira.
 
Esta edição do campeonato, estando associado à celebração do 30º Aniversário do clube, também abriu a sua participação à seleção de surf júnior galega, reforçando a cooperação existente com a Federación Galega de Surf (FGS).

“O SCV e o CAR Surf de Viana para nós são modelos de como deve ser o surf. Em Espanha não existem infraestruturas destas. Prevemos, fora do LG, utilizar mais vezes o CAR”, afirmou Román Diez, presidente da FGS.
 
O SCV também convidou os clubes diretamente ligados aos CAR Surf nacionais, materializando o 2º Meeting Nacional CAR Surf, que juntou em Viana do Castelo a Associação de Surf de Aveiro (CAR Surf de São Jacinto) e o SCV (CAR Surf Viana).
 
Pedro Velhinho, presidente da Associação de Surf de Aveiro considera que o conceito do modelo de gestão dos CAR da modalidade contempla uma dinamização conjunta destas infraestruturas. “Os CAR são mais uma ferramenta que poderá contribuir para a evolução da modalidade e todos beneficiam com uma estratégia integrada, com a partilha de conhecimento e de boas práticas”, explicou.
 
Também Paulo Marcolino, diretor executivo da Fundação do Desporto, considera que “estes encontros e esta partilha de conhecimento são importantes para a evolução dos CAR, que apesar de terem valências e potencialidades diferentes têm objetivos comuns. O CAR Surf de Viana é um exemplo não só para os da modalidade mas para todos os outros, pois foi o que mais rapidamente conseguiu assimilar a ideia de modelo de gestão dos CAR e que a implementou. As instituições são os seus recursos humanos, e este CAR construiu uma dinâmica própria que beneficia de várias parcerias que estabeleceu e que lhe dão capacidade de produzir o seu próprio conhecimento”.
 
 
O Viana World Bodyboard Championship 2019 encerrará o Viana Surf City Festival, entre 19 e 22 de setembro também na praia da Arda.

Perfil em destaque

Scroll To Top